Porque uma imagem diz tudo


Obrigada por nos terem escolhido a nós como mãe, pai e mano.
*
Thank you for choosing us for your mommy, daddy and big brother


Gémeas-96




sigam o Suvelle Cuisine no Facebook Instagram }
follow Suvelle Cuisine on Facebook and Instagram}

Su

Tarte Crespelle de abóbora e cogumelos... e uma grande falha.


{scroll down for english version}


Tenho uma confissão a fazer...

Crespelle crep-13

Sim, envergonho-me profundamente e a verdade é que nem sequer me reconheço. Honestamente quero acreditar que são os meus bebés rastejantes que não me dão tréguas, ou mesmo a antecipação da casa nova que me têm ocupado demasiado a atenção.

A verdade é que este ano... ainda não fiz a minha árvore de Natal.

crep-21 crespelle2

E quem me conhece sabe perfeitamente o quão preocupante isso é no meu caso. Quase a entrar em Dezembro e eu ainda não decorei a casa... parece impossível.

crep-2 crep-32

Eu sei que não tenho desculpa. Afinal se tenho tempo para a fotografia, para o blog, para a projeção da nova casa e para outras tantas coisas mais, também já me deveria ter obrigado a acartar a árvore e decorações de Natal e colocado mãos à obra. Até o meu terrorista já me disse que tenho de fazer a árvore porque senão o pai Natal não virá.

crep-31

Não tenho desculpa e sinto-me profundamente envergonhada. Prometo resolver a questão muito em breve.

Ingredientes
Massa de Crepes
  • 100 gr Farinha
  • 1 ovo (preferencialmente biológico)
  • 250 ml leite magro
  • 1 pitada de sal
Recheio
  • 1/2 Abóbora menina (butternut) média
  • 150 gr cogumelos shitake
  • 150 gr cogumelos brancos
  • 1 c. sopa de manteiga vegetal
  • 8 a 12 folhas de salva
  • molho bechamel q.b.
  • 30 gr queijo da ilha 

Preparação

1. Num tabuleiro de forno colocar a abóbora em pedaços pequenos bem como os cogumelos partidos grosseiramente. Por cima distribuir pequenas nozes de manteiga e as folhas de salva e polvilhar com sal.  Levar ao forno a 200º por cerca de 20 minutos.

2. Numa taça misturar bem os ingredientes da massa para os crepes até obter um creme consistente.

3. Aquecer uma frigideira anti-aderente em lume médio e deitar uma porção de massa e deixar cozinhar até que surjam bolhas. Virar a massa e deixar por alguns segundos. Repetir até terminar a massa.

4. Forrar uma forma redonda cujo diâmetro seja aproximadamente o das folhas de crepes com papel vegetal. Colocar uma folha de crepe e por cima um pouco da abóbora e cogumelos assados. Por cima colocar cerca de 1 colher de sopa de molho bechámel. Repetir as camadas e finalizar com uma folha de crepe, molho bechamel e o queijo ralado. Levar ao forno a 200º até que o queijo fique dourado.




sigam o Suvelle Cuisine no Facebook Instagram }

 Bom apetite, Su


Por tudo isto... e muito mais.


{scroll down for english version}


Não é só por seres o amor da minha vida, por teres uns olhos verdes que me fazem perder a noção da realidade ou pelos beijos doces com que me fazes começar e acabar cada dia.

Gémeas-56-4

Não… é também por tudo o resto que é tão ou mais importante. 
É por ver como divides a tua maçã no final da refeição por nós quatro e ficas apenas com um pequeno pedaço para ti. É por saber que não preciso de me lembrar do casaco do Rafa pela manhã, porque de certeza que tu não te esqueces. É por pensares sempre em nós em primeiro lugar e só depois em ti. 

É por saber que, por mais errada que eu possa estar, é sempre do meu lado que ficas contra tudo e contra todos. Sempre.
É por me sentir sempre segura e protegida ao teu lado e por saber que me apoias sempre nos meus devaneios – sejam eles pintar mobília, mudar de casa ou meter-me em decoração de casamentos -. É por me levares às feiras de antiguidades, por ires comigo buscar aquele armário velho que eu tanto namorei e por comprares em dobro o meu pão de malte quando vais para fora só para garantires que não me vai faltar nessa semana.

É por saber, acima de tudo, que jamais poderia ter arranjado um melhor pai para os meus filhos. É por me teres dado os filhos lindos que temos e por teres pulado de alegria quando te disse que íamos ter gémeos. É por saber que ainda queres mais filhos e que realmente, se há alguém que merece ter muitos filhos, esse alguém és tu. 

É por apertares as bochechas às nossas meninas refilonas e por te levantares de hora a hora durante a noite só para controlares a febre do Rafa.

É por ter a certeza absoluta e inquestionável que é ao teu lado que quero estar quando todos os fios do meu cabelo se tornarem brancos e a velhice nos alcançar. Porque eu sei, do fundo do meu ser, que encontrei aquilo que muito pouca gente tem a sorte de encontrar numa vida inteira… a minha alma gémea.

Parabéns Nuno, meu amor, meu companheiro, meu porto de abrigo. Amo-te. 

*

It's not only because you're the love of my life, because of your green eyes that make me lose all sense of reality or the sweet kisses that you give me at the start and the end of every single day. 

No ... it's also for everything else that is equally or more important. It's the way how you divide your apple at the end of the meal for the four of us and you keep just a little bit for yourself. It's knowing that I don't need to remember Rafa's jacket in the morning, because for sure you won't forget it. It's for always putting us first, above everything else, even above you. 

It's knowing that no matter how wrong I may be, you're always by my side against everything and everyone. Always. 
It's because the way you make me feel safe and secure at your side and for knowing that you allways back me up in my reveries - whether they are painting furniture, moving to a new house or get myself in wedding styling -. It's also for carrying me to antiques fairs and for going to get that old dresser that I've wanted for so long and for buying in double my malt bread before you go away at wok so that I will have plenty int that week. 

It's knowing, above all, I could never have gotten a better father for my children. For having given me the beautiful children we have and for having just jumped in happiness when I told you we were going to have twins. It is to know that you still want more children and really, if anyone deserves to have many children, that someone is you. 

It's for pinching the cheeks of our grumpy girls and for checking Rafa's fever every hour during the night. 

It's having the absolute and unquestionable certainty that it is by your side I want to be when all the strands of my hair turned white and the old age catches up with us. Because I know, from the bottom of my being, I have found what very few people are lucky enough to find in a lifetime ... my soul mate. 


Happy Birthday Nuno, my love, my companion, my haven. I love you.


sigam o Suvelle Cuisine no Facebook Instagram }
follow Suvelle Cuisine on Facebook and Instagram}

 Su

Crostata de abóbora... e o nosso sonho.


{scroll down for english version}


Há já muito tempo que era um sonho nosso.

untitled-8

O sonho de criarmos os nossos filhos num local tranquilo e de proximidade com mais natureza e menos prédios, carros ou pressas. O sonho de uma casa grande com um jardim para eles correrem e brincarem, uma mini horta onde colocar a minha salva e o meu manjericão e até mesmo umas rosas ou uns malmequeres. 
Um local onde possamos ouvir os pássaros cantar pela manhã e sentir o cheiro do orvalho na erva, onde os vizinhos conheçam os meus filhos pelo nome e onde as crianças ainda peçam o pão por Deus.

Crostata1

É esse o sonho que temos para nós. O simples sonho de uma casa no campo. 

Como tudo na vida, haverá com toda a certeza alguns sacrifícios a fazer. Viagens um pouco mais longas para o trabalho, a distância de um centro onde tudo está a dois passos de caminho, um recomeçar de novo que pode inicialmente até assustar.
Mas, depois de muito bem pensados e repensados todos os prós e contras, sabemos – como sempre soubemos – que estamos mais do que dispostos a pagar o preço. Sabemos que nada vem de forma fácil e que seremos mais do que capazes de orientar e gerir uma nova vida para podermos ter tudo o que de positivo ela possa ter para nos dar.

Crostata2 untitled-15 untitled-22

E por isso demos o passo. Encontrámos a nossa casa perfeita num local perfeito - afinal aquele onde casámos – e resta agora os últimos acabamentos e detalhes ao nosso gosto pessoal para que, em breve, nos possamos mudar. 

untitled-16

Se me assusta esta mudança? Mais do que possam imaginar. Mas sabemos que é este o passo que temos de dar, sabemo-lo do fundo do coração. E eu sei que acreditando em nós, como sempre fizemos, levar-nos-á à nossa felicidade. 




Ingredientes

Massa


  • 300 gr Farinha
  • 130 gr manteiga vegetal
  • 70 gr água
  • 1 pitada de sal
Recheio
  • 700 gr de abóbora menina, cortada em pequenos cubos
  • 1 c. sopa de manteiga vegetal
  • Folhas de salva a gosto
  • Estragão fresco
  • 1 punhado de amêndoas laminadas
  • Sal
  • Pimenta

Preparação

1. Colocar os ingredientes da massa no copo da bimby e amassar durante 15 segundos na velocidade 5. Retirar a massa, formar uma bola e reservar no frigoríco. 

2.  Colocar a abóbora num tabuleiro, polvilhar com sal e espalhar nozes da manteiga. Por cima colocar as folhas de salva e levar ao forno cerca de 30 a 40 minutos a 180ºC

3. Dividir a massa em 2 porções e estender 2 discos sob papel vegetal. Depois da abóbora ligeiramente arrefecida, dividir pelas porções da massa, colocando no centro. Fechar os rebordos da massa, dobrando-a para cima. Polvilhar com mais algumas folhas de salva e com o estragão.

4. Levar ao forno por mais cerca de 20 a 30 minutos ou até que a massa esteja douradinha. A 5 minutos do final distribuir as amêndoas laminadas por cima das crostatas.




sigam o Suvelle Cuisine no Facebook Instagram }

 Bom apetite, Su


Tarte de tomate cherry, ricotta e chévre... e o tempo que urge


{scroll down for english version}


Ultimamente sinto que tenho demasiadas coisas para fazer e que algumas estão a ficar para trás. Sinto que me falta tempo para fazer tudo aquilo que quero e preciso. 

Tarte Ricota Tomate e Chévre_1

Preciso de planear o aniversário das meninas, preciso de decorar a casa para o Natal  {nem posso acreditar que já estamos a entrar em Novembro, como é que o tempo passou?! }, preciso de planear um batizado a dobrar, preciso de fazer aquele post e montar três álbuns, preciso de planear uma grande mudança na minha vida que irá ocorrer em breve…

Tarte Ricota Tomate e Chévre_2

O tempo urge e eu sinto-me um pouco perdida… não estou habituada. Pior do que tudo, eu sei que é por preguiça minha. 

Tarte Ricota Tomate e Chévre_3 Tarte Ricota Tomate e Chévre_4

Há que retomar o meu planning habitual, há que organizar e estruturar tudo aquilo que é preciso ser planeado e meter mãos à obra. Há muito por fazer, mas agora que a Wedding Season deste ano parece estar fechada, posso dedicar-me a tudo aquilo que preciso. 

Por hoje… bom, por hoje e só hoje, vou apenas dedicar-me ao sofá e ganhar forças para tudo o que se avizinha.


Ingredientes
  • 300 gr de Farinha
  • 130 gr de manteiga vegetal
  • 70 gr água
  • ½ c. chá de sal
  • ½ c. chá de açucar
  • 14 a 18 tomates cherry
  • 250 gr queijo Ricotta
  • 90 gr queijo chévre
  • 1 ovo
  • Folhas de tomilho limão a gosto
  • Sal
  • Pimenta

Preparação

1.   Pré-aquecer o forno a 200º

2. Num robot de cozinha colocar a farinha, a manteiga, a água, o sal e o açúcar e pulsar até obter a massa. Dispor a massa numa superfície enfarinhada e estender numa placa. Com a ajuda do rolo, enrolar e desenrolar por cima de uma forma de tarte. Pressionar bem e passar com o rolo por cima do rebordo de forma a descartar o excesso de massa.

3. Envolver o queijo com o ovo, batendo bem, e temperar com sal e pimenta. Espalhar o preparado na tarte.

4. Dispor os tomates cherry por cima bem como o chévre. Distribuir as folhas de tomilho limão e levar ao forno cerca de 20 minutos ou até a massa estar douradinha e os tomates assados.




sigam o Suvelle Cuisine no Facebook Instagram }

 Bom apetite, Su


Bolinhos de Groselhas e Chia... e um pé ante pé



{scroll down for english version}


Sabem quando estamos tão perto de algo que, por breves instantes, receamos acordar e perceber que não passou de um sonho? A sensação de que, se não fecharmos os dedos com uma força extraordinária, a água escorrerá por eles sem que nada consigamos fazer...

Financiers1 untitled-26

É um pouco como me sinto neste momento. Como se, de alguma forma, tudo não passe de um sonho. Um sonho simples e singelo... mas ainda assim, o meu sonho.

untitled-14 untitled-24 untitled-29

O sonho que sempre tive, mesmo que só recentemente me tenha apercebido dele. 

untitled-13 Untitled-1

E por isso, neste momento, dou um passinho cauteloso atrás de outro, sussurro baixinho como que numa tentativa de não acordar. Como se de alguma forma, se for cuidadosa e caminhar sobre as pontas dos pés, possa permanecer assim... dentro do sonho... eternamente a sonhar.


Ingredientes


  • 170 gr de creme vegetal
  • 250 gr de açúcar
  • 1 c. chá de extrato de baunilha
  • 2 ovos
  • 180 gr de farinha de trigo
  • 3/4 c. chá de fermento
  • 1 pitada de sal
  • 180 ml de buttermilk (leitelho)
  • 2 c. chá de sementes de chia
  • 100 gr de groselhas frescas

Preparação

1. Pré-aquecer o forno a 180º. Barrar formas de bolinhos e polvilhar de farinha.

2. No copo da bimby bater o açúcar com o creme vegetal na vel. 5 durante 20 segundos.

3. Adicionar a baunilha e, com o copo em funcionamento na velocidade 3, deitar pelo bucal os ovos um a um. Se necessário ajudar com a espátula para baixar o preparado e voltar a mexer mais um pouco.

4. Juntar a farinha, o fermento e o sal e mexer por mais alguns segundos na velocidade 6. Juntar o buttermilk e continuar a mexer na velocidade 5 até incorporar bem.

5. Retirar o copo da máquina e adicionar as sementes de chia e as groselhas e envolver com a espátula. 

6. Deitar o preparado nas formas e levar ao forno cerca de 20 a 25 minutos. Deixar arrefecer numa grelha.


Receita daqui




sigam o Suvelle Cuisine no Facebook Instagram }

 Bom apetite, Su


Tartlets de pêssego integrais... e as diferenças entre o primeiro e os seguintes.


{scroll down for english version}


Ao contrário daquilo que é comum na grande generalidade dos pais, a minha experiência entre o primeiro e o(s) segundo(s) filho(s) não me ensinou a ser mais relaxada e/ou descontraída. 
Sempre fui todas essas coisas com o mais velho. 

Tartlets _20140605_0015 Tartlets_Col2

Nunca entrei em paranoia porque o termómetro acusava 38º - e na grande maioria das vezes a palma da mão serve para constatar se está mais ou menos quente -, nunca fiquei em pânico por ele ter o sapato na boca (como aliás todos os meus filhos adoram fazer), nunca chorei que nem madalena por o deixar na creche ou com os avós. Está em mim ser assim, é um direito que me assiste tal como é no caso de todas as mães que não o são. 

Tartlets _20140605_0016 Tartlets _20140605_0019

Mas eis que, depois de ser mãe de um rapazinho lindo muito independente e boa onda, me vejo a braços com duas meninas que realmente personificam a epítome daquilo que é ser uma verdadeira {como eu adoro chamá-las} Lady

E eu dou por mim a correr para elas sempre que elas choram – claramente a chamar por mim - a fazer-me valer do meu direito de ser mãe e acudir-lhes ao mínimo suspiro, a deliciar-me naquela ânsia de as saborear e a cada um dos seus traços, gestos, sorrisos ou balbucios.

Tartlets _20140605_0027

Só porque sim, e talvez porque agora saiba que passa tão depressa, que em menos de nada se tornam crescidos e porque, muito honestamente, todo o colo que lhes puder dar será sempre infinitamente pouco.


Tartlets_Col1

Não, não aprendi a ser mais relaxada com o(s) segundo(s) filho(s). Aprendi sim a apreciar melhor o pouco tempo que tenho, a não me deixar prender a medos tão insignificantes como o de os habituar ao colo, aprendi a ser mãe em todo o esplendor daquilo que significa amar um filho.


Ingredientes
Massa 
  • 75 gr Farinha de Trigo 
  • 75 gr Farinha de Centeio Integral 
  • 65 gr de creme vegetal 
  • 35 ml água fria 
  • 1 c. sopa de sementes de linhaça 
  • 1 c. sopa de sementes de chia 
  • 1 c. café de sal 
 Recheio
  • 2 c. sopa de queijo mascarpone 
  • 1 clara de ovo 
  • 1 c. sopa de geleia de pêssego 
  • 1 c. sopa de cacau em pó 
Topping 
  • 2 pêssegos 
  • Açúcar em pó para polvilhar 
  • Açúcar mascavado para polvilhar
Preparação
1. Juntar os ingredientes da massa e amassar muito bem. Estender numa superfície enfarinhada e, com a ajuda do rolo, estender a massa pelas formas. Picar com um garfo e levar ao forno pré-aquecido a 180º cerca de 10 minutos. 

2. Juntar os ingredientes para o recheio e bater muito bem até obter uma mistura homogénea. Distribuir o preparado pelas tartes, depois de arrefecidas. 

3. Laminar os pêssegos em meias luas fininhas e decorar a tarte, formando uma "rosa". Polvilhar com o açúcar mascavado e levar ao forno cerca de 20 minutos. Deixar arrefecer ligeiramente, polvilhar com o açúcar em pó e servir.




sigam o Suvelle Cuisine no Facebook Instagram }

 Bom apetite, Su


09 10