Sopa de abóbora assada com pêra assada, queijo azul e pecans... e as lições da vida.

{Roasted pumpkin soup with roasted pears, blue cheese and pecans... and life lessons}

Um destes dias, lía eu um texto sobre parentalidade, e dei por mim a rir-me da minha própria pessoa. O texto era sobre um comentário que uma recém mãe de um bebé de duas semanas deixou no seu facebook. Nesse comentário ela dizia que não conseguia compreender porque tantas mães se queixavam sobre ter filhos e em como não conseguiam fazer nada, passear, etc.
Afinal, ao fim de duas semanas inteiras, ela conseguia ter a casa limpinha, ter alguns momentos de relaxe e até estar em momentos intímos com o marido.          
*
One of these days, as I was reading a text about parenting, I found myself laughing at my own person. The text was about a comment that a new mother of a two weeks old baby left on her Facebook page. In said comment she said she couldn't understand why so many mothers complained about having children and how they couldn't do anything, sightseeing, etc.
After all, after two whole weeks, she had a clean house, some moments of relax and even some intimate moments with her husband.

PumpkinSoup_roastedPears_col1 PumpkinSoup_roastedPears_08

Ah, e como eu me ri. Também me recordo que comentar algo parecido aquando do primeiro mês de vida do meu primeiro filho. E como a vida nos trata de ensinar, não é verdade?          
*
Oh, and how I laughed. I also remember commenting something like that during the first month of my first child. And how life ensure itself  to teach us some lessons, right?

PumpkinSoup_roastedPears_col2 PumpkinSoup_roastedPears_04 PumpkinSoup_roastedPears_06 PumpkinSoup_roastedPears_10


Ao longo de cada mês, de cada ano, da vida dos meus filhos aprendi a valiosa lição de não julgar nem tão pouco criticar os outros pais. Claro que há alguns aspetos mais objetivos que outros, mas a verdade é que por mais que faça o melhor que consiga, o melhor que sei, por vezes as coisas simplesmente não funcionam. E por vezes dou por mim a cair nos erros que outrora tão afincadamente critiquei.           
*
Throughout each month, each year, of the lives of my children I learned the valuable lesson of not judging or criticizing other parents. Of course there are some aspects more objective than others, but the truth is that however I do the best I can, the best I know, sometimes things just don't work. And sometimes I find myself falling into the errors I once so diligently criticized. 

PumpkinSoup_roastedPears_11 PumpkinSoup_roastedPears_01-2 PumpkinSoup_roastedPears_09


A vida encarrega-se de nos ensinar ao longo dos anos a engolir aquilo que outrora afirmámos com a absoluta verdade. A vida encarrega-se de nos ensinar que não somos e jamais seremos donos da verdade e da perfeição.
A vida encarrega-se de nos ensinar sobretudo que a experiência é o melhor conselheiro.           
*
Life is responsible for teaching us over the years to swallow what once we stated with absolute truth. Life undertakes to teach us that we are not and never will be owners of the truth and perfection.
Life undertakes to teach us above all that experience is our best counselor.




Ingredientes

  • 800 gr de abóbora
  • 2 pêras rocha
  • 1 c. sopa de manteiga
  • 4 raminhos de tomilho-limão fresco
  • 1 punhado de folhas de salva
  • 500 ml de caldo de legumes caseiro
  • 1 fio de azeite
  • queijo azul a gosto
  • 1 punhado de nozes pecans
  • sal  q.b.
  • 1 pitada de flor de sal

Preparação

1. Pré-aquecer o forno a 200ºC.

2. Lavar a abóbora, remover as sementes e partir em bocados - não retirar a casca. Por cima dispor a manteiga em pedaçõs, polvilhar com sal e colocar o tomilho limão e a salva. Levar ao forno cerca de 30 a 40 minutos ou até a a abóbora ficar bem tenra.

3. Entretanto, lavar a pêra e partir em fatias longitudinalmente. Dispor num tabuleiro e regar com um fio de azeite. Levar ao forno cerca de 20 minutos.

4. Num robot de cozinha colocar a abóbora - reservar o tomilho e a salva para guarnecer - e adicionar o caldo. Tritutar até obter um puré.

5. Servir num prato a sopa e por cima colocar fatias da pêra, o queijo esfarelado, as nozes pecan paridas grosseiramente, as folhinhas de cheiros e uma pitada de flor de sal.





{ see this story on steller }

As couves e o bacalhau do Minho... e a mesa de Natal

{Minho's Christmas kale and codfish tradition... and the Christmas table}

Foram muitos os Natais na minha infância em que era apenas eu, o meu pai e a minha mãe. 
Ao contrário de outros Natais, nesses não havia qualquer azáfama ou vozes que se atropelavam enquanto as crianças da família corriam por entre os adultos e os tabuleiros da comida que ía sendo preparada pela avó. 
Mas nem por isso esses Natais eram menos bons.     
*
There were many Christmases in my childhood when it was just me, my father and my mother.
Unlike other Christmases, in such there was no bustle or voices that trampled each other while the family's children ran among the adults or the trays of food being prepared by grandma.
But still those Christmases were a blessing.

PortugueseChristmas_col2 PortugueseChristmas_04 PortugueseChristmas_02 PortugueseChristmas_21


A árvore de Natal, durante muitos anos a mesma, pequenina e humilde com pequenas decorações que nunca esquecerei era quase como uma quarta presença lá em casa e talvez por isso signifique ainda hoje tanto para mim. 
E a mesa de Natal, ainda que para três pessoas apenas, era sempre posta com o devido centro de Natal com velas, azevinho e uma ou outra bola decorativa. 
*
The Christmas tree for many years the same, small and humble with small decorations that I shall never forget was almost like a fourth presence at home and perhaps why it still means so much to me.
And the Christmas table, albeit for just three people, it was always set with the proper center of Christmas with candles, holly and one or two decorative ornaments.

PortugueseChristmas_col5 PortugueseChristmas_09 PortugueseChristmas_col4 PortugueseChristmas_10 PortugueseChristmas_col6 PortugueseChristmas_15 PortugueseChristmas_13


E na consoada, desde que me lembro, as couves e o bacalhau à moda da terra do meu pai, o Minho. Um prato que, pela tradição, se come na consoada e na véspera do ano novo e que para mim se tornou obrigatório na tradição de Natal.  
E este prato é também para mim sinónimo daquilo que o Natal deve ser. Uma mesa posta com carinho e dedicação, com poucas ou muitas pessoas, mas sempre com amor servido como entrada e prato principal. 
*
And in christmas eve, ever since I can remember, the kalé and cofish from my father's hometown, Minho. A dish that, by tradition, is eaten at christmas eve and at New Year's eve and that for me has become mandatory in Christmas tradition.
And this dish is also to me the synonym of what Christmas should be. A table set with care and dedication, with few or many people, but always with love served as a starter and a main course.

PortugueseChristmas_col3 PortugueseChristmas_17 PortugueseChristmas_col1 PortugueseChristmas_22







Ingredientes

  • Couves galegas 
  • Pão cacete
  • Bacalhau seco
  • Azeite
  • 1 dente de alho 

Preparação

1. Demolhar o bacalhau 3 dias antes, mudando a água pelo menos três vezes. Reservar a segunda água da demolha. 

2. Preparar as couves, cortando-as em bocados grandes e levar a cozer na água da demolha a ferver até ficarem tenras. À parte cozer o bacalhau.

3.  Num tacho colocar fatias grossas do pão no fundo e por cima colocar as couves cozidas deixando ir também um pouco da água para amolecer o pão. Por cima dispor o bacalhau lascado grosseiramente.

4. Regar generosamente com azeite e finalizar com o alho picado por cima (opcional). Servir de imediato.




Pudim de Natal inglês mais saudável com Crème anglaise de vinho do porto ... e as nossas tradições

{Healthier Port Christmas pudding with Port crème anglaise... and our traditions}

Desde o primeiro Natal que passámos juntos que soube que eu queria incutir tradições na nossa família. 
É que para mim celebrar o Natal com determinados rituais faz  com que tudo pareça mais mágico, mais ancestral e sobretudo mais familiar.     
*
Ever since the first Christmas we spent together that I knew I wanted to instill traditions in our family.
For me to celebrate Christmas with certain rituals makes everything feel more magical, more ancient and most of all more familiar.

Port Christmas Pudding with Port Créme Anglaise Port Christmas Pudding with Port Créme Anglaise Port Christmas Pudding with Port Créme Anglaise Spelt Christmas cookies Port Christmas Pudding with Port Créme Anglaise

Todos os anos, assim que monto a árvore de Natal (mais cedo do que qualquer outra pessoa), a playlist passa a ser composta apenas por músicas de natal, com clássicos como Barry Manilow, Nat King Cole ou com uma das minhas musicas favoritas, Baby, It's cold Outside de Dean Martin.  E são estas as músicas que enchem a minha casa quer eu esteja a embrulhar presentes, a fazer um bolo ou a decorar bolachas natalícias. 
*
Every year, as soon as I assemble the Christmas tree (much sooner than pretty much everyone else), the playlist becomes filled of Christmas songs, with classics like Barry Manilow, Nat King Cole or with one of my very favorites, Baby, It's Cold Outside from Dean Martin. And these are the songs that fill my home whether I am the wrapping presents, baking a cake or decorating some christmas cookies.

Port Christmas Pudding with Port Créme Anglaise Port Christmas Pudding with Port Créme Anglaise Port Christmas Pudding with Port Créme Anglaise Port Christmas Pudding with Port Créme Anglaise


Todos os anos faço uma receita nova que seja tipica de Natal e todos os anos corto quantidades industriais de bolachinhas que ofereço carinhosamente à família, aos amigos e aos vizinhos.   
Todos os anos penso com semanas de antecedência na decoração da mesa da ceia e todos os anos elejo o preto e dourado como a minha indumentária para a noite de consoada.  
*
Every year I make a new typical Christmas recipe and every year I bake industrial quantities of cookies which I lovingly offer to family, friends and neighbors.
Every year I think weeks in advance at the christmas eve table decoration and every year I elect  black and gold as my outfit for that night.

Port Christmas Pudding with Port Créme Anglaise Port Christmas Pudding with Port Créme Anglaise Port Christmas Pudding with Port Créme Anglaise Port Christmas Pudding with Port Créme Anglaise Port Christmas Pudding with Port Créme Anglaise


Para mim o Natal sem tradições não seria a mesma coisa porque acredito que são as tradições que perduram e fazem perduram as memórias, as recordações em família e a presença daqueles que já não estão.   
*
For me Christmas without traditions would not be the same because I believe it's the traditions that linger and make the family memories linger and it's also what keeps the presence of those who no longer are with us.





Ingredientes

  • 1 laranja inteira (com a casca) picada grosseiramente
  • 100 gr de tâmaras secas descaroçadas
  • 100 gr de ameixas secas descaroçadas
  • 1/3 chávena de manteiga sem sal
  • 1 1/4 chávenas de água
  • 1/2 chávena de arandos vermelhos secos
  • 100 gr de alperces secos, picados finamente
  • 3 ovos ligeiramente batidos
  • 1 chávena de café de vinho do porto
  • 250 gr de farinha de amêndoa
  • 1 c. chá de aroma de baunilha
  • 1 c. chá de canela
  • 1/4 c. chá de cravinho moído
  • 1/2 c. chá de noz moscada 
  • 1 pitada de sal
Créme Anglaise de vinho do Porto


  • 300 ml de leite
  • 50 gr açúcar
  • 3 c. sopa de vinho do porto
  • 3 gemas de ovo
Preparação

1. Pré-aquecer o forno a 190ºC.

2. Juntar as tâmaras, ameixas, a laranja picada e a água e levar ao lume num tacho até ferver. Deixar reduzir cerca de 10 a 15 minutos. Retirar do lume e envolver a manteiga. Deixar arrefecer.

3. Colocar o preparado já morno num robot de cozinha e reduzir a uma pasta. Transferir para uma taça e juntar os alperces picados, os arandos, as especiarias, o sal, a farinha de amêndoa e os ovos. Envolver bem e deitar o preparado numa forma de pudim de banho maria previamente untada.

4. Fechar a tampa da forma e colocar num tabuleiro de forno fundo. Verter água quente de forma a que cubra cerca de metade da forma e cobrir tudo com folha de aluminio. Levar ao forno por 1 hora e 30 minutos.

5Para o creme, colocar o leite, o vinho do porto e o açúcar ao lume até começar ligeiramente a ferver.

6. Bater as gemas numa taça. Juntar o leite, uma colher de cada vez, mexendo sempre vigorosamente com uma vara de arames, até que se tenha junto metade do leite.

7. Colocar o preparado novamente na panela e levar em lume baixo, mexendo até engrossar um pouco.

8. Desenformar o pudim - ter em atenção o vapor que sai quando se retira a folha de alumínio - e servir com o crème anglaise. 

Receita adaptada daqui

Spelt Christmas cookies

{ Bolachas de Natal de espelta decoradas }



Ingredientes

  • 1 chávena de manteiga sem sal amolecida
  • 1 chávena de açúcar mascavado
  • 1 c. chá de extrato de baunilha
  • 1 ovo
  • 2 c. chá de fermento
  • 1 chávena de farinha espelta branca + 2 chávenas de farinha de espelta integral
  • 200 gr açúcar em pó
  • 1 clara de ovo
  • 1 c. chá de farinha maizena

Preparação

1. Pré-aquecer o forno a 180ºC.

2. Bater os ovos com a manteiga até obter um creme.

3. Juntar os restantes ingredientes e amassar até obter a massa. Esticar com o rolo numa bancada enfarinha e cortar com cortadores de bolachas.

4. Levar ao forno cerca de 10 minutos ou até começarem a dourar. Deixar arrefecer sobre uma grelha.

5Para o glacé bater a clara do ovo com o açúcar e a maizena até obter um creme esbranquiçado. Juntar um pouco de água caso a consistência esteja muito dura.

6. Decorar com um bico de pasteleiro desenhando as bolachas a gosto.





{ see this story on steller }

09 10