Rolos de framboesas e morangos... e o regresso às origens


{scroll down for english version}



Nos últimos tempos tenho dado por mim a reviver sensações muito mais vezes do que o que me é normal.

BerryRolls_col3jpg


Por vezes são as cores de uma casa, o reflexo do sol num objeto ou o negrume de uma casa de pedra velha, outras são os cheiros de uma erva menos comum ou até os sons que o campo, agora tão generosamente, me oferece.

BerryRolls_col1 BerryRolls_001 BerryRolls-62 BerryRolls_col2jpg


Regrido a momentos pontuais, até esquecidos num lugar longínquo da minha mente, e vejo a minha infância. Sinto, cada vez mais e mais, a nostalgia de vozes que não mais ouvirei ou de uma família reunida que nunca mais o será, sinto a nostalgia daquilo que não volta. Pergunto-me se estes sentimentos se tornarão mais e mais fortes com a passagem dos anos e, com uma certeza algo irónica, sei que sim. 

BerryRolls_002 BerryRolls-214


Talvez seja essa a razão de me ver numa fase da minha vida em que tudo aquilo que quero é regressar às origens, a tudo aquilo que me faça reviver os momentos que guardo tão preciosamente.

Talvez chegue este ponto na vida de todas as pessoas, talvez depois dos filhos em que tantas perspetivas na nossa mente mudam.

BerryRolls_003 BerryRolls_col4jpg BerryRolls_004 BerryRolls_col6


Não sei se daqui a alguns anos tudo isto deixe de fazer sentido, mas hoje, aqui e agora é isto que me aquece a alma. 

BerryRolls_007 BerryRolls_col5 BerryRolls-334 BerryRolls_005 BerryRolls_006

Receita adaptada daqui


Ingredientes


  • 125 ml leite
  • 125 gr iogurte
  • 35 gr de fermento de padeiro fresco
  • 1 c. sopa de açucar mascavado
  • 80gr de manteiga vegetal
  • 220 gr farinha integral
  • 400 gr farinha trigo
  • 1 pitada de sal
  • 2 ovos (preferencialmente biológicos)
  • 250gr mel
  • 1 vagem de baunilha
  • 300 gr morangos
  • 100 gr framboesas

Preparação

1. No leite morno dissolver o fermento com o açucar. 

2. Misturar as farinhas com o sal e juntar-lhes o leite com o fermento, os ovos, o iogurte e a manteiga derretida. Deixar levedar cerca de 1 hora.

3. Abrir a vagem da baunilha longitudinalmente e remover as sementes com uma faca. Num tacho colocar o mel, os morangos partidos em pedaços e as framboesas em metades e juntar as sementes de baunilha. Deixar ferver por cerca de 5 a 8 minutos.

4Amassar bem a massa e estender numa superfície polvilhada de farinha. Por cima espalhar o preparado, reservando algum. Enrolar a massa e cortar tiras grossas do rolo. Dispor os rolinhos num tabuleiro de forno e por cima colocar o restante molho de morangos e framboesas.

5. Levar ao forno pré-aquecido a 180º durante cerca de 25 minutos.




sigam o Suvelle Cuisine no Facebook Instagram }

 Bom apetite, Su


Tarte Tatin de beterraba com ricotta... porque eu adoro beterraba.


{scroll down for english version}


As beterrabas são possivelmente um dos vegetais mais odiados de sempre. Mas quanto a mim, adoro-a.
No mercado quando as vi soube que tinha de as trazer comigo e soube de igual forma que seria no forno onde iriam acabar.

BeetTartTatinCol1 beetTartTatin-40 BeetTartTatinCol2

O Nuno jura a pés juntos que só lhe sabe a terra e não consegue perceber o meu fascínio por ela. Escusado, pois, será dizer que nem sequer provou a minha tarte que levou uma imensidão de tempo a preparar. 

Mas nem isso me demoveu de me entregar de corpo e alma à preparação desta receita. Cortei-lhe a ramagem, com alguns sentimentos de culpa confesso, enquanto as gémeas me arrumavam o armário dos tupperwares e preparei-as para levar ao forno. 

BeetTartTatinCol4 untitled_small_002 untitled_small_001

Nos entremeios o Nuno pendurou varões na janela da cozinha, o Rafa ajudou as manas com os plásticos e ainda as levou à área das panelas e ainda conseguimos assar batatas e peixinho. Julgo que ainda fizemos mais umas quantas coisas. As beterrabas demoram realmente a assar. 

beetTartTatin-46 BeetTartTatinCol3

E depois, bom, depois veio a parte fácil de montar uma tarte invertida e conseguir não tingir uma família inteira de magenta... ou cor de vinho. 

O resultado final, asseguro-vos, valeu muito a pena.

Ingredientes


  • 2 beterrabas grandes
  • 1 c. sopa de vinagre balsâmico
  • 1 c. sopa de manteiga
  • 1 placa de massa folhada
  • Folhas de hortelã a gosto
  • Folhas de tomilho limão a gosto
  • 1 c. sopa de ricotta (por fatia)
  • Sal q.b

Preparação

1. Arranjar as beterrabas e cortar as ramagens. Lavar bem e envolver em prata. Levar ao forno a 225º cerca de 60 a 80 minutos - dependendo do tamanho das beterrabas. No final deixar arrefecer.

2. Remover a pele das beterrabas e cortar em rodelas finas e numa tarteira de base amovível dispor de forma bonita, uma vez que a tarte será invertida no final. Polvilhar com o sal e regar com o balsâmico. Espalhar nozes da manteiga.

3. Colocar a massa folhada por cima, enrolando os rebordos de forma a que entrem ligeiramente pelos lados exteriores.

4. Levar ao forno a 180º cerca de 25 a 30 minutos. No final remover o rebordo da tarteira e virar para um prato. Dispor as folhas das ervas e servir com a ricotta.




sigam o Suvelle Cuisine no Facebook Instagram }

 Bom apetite, Su


Bolo de limão e salva com calda de salva... num momento de inspiração


{scroll down for english version}


Quando sigo um blog há várias razões que me levam a querer continuar acompanhar o que por lá é escrito e partilhado.

col_boloLimaoSalvaBoloLimaoSalva-2col_boloLimaoSalva5


Com tanta escolha e opções neste mundo da internet julgo que também nós, leitores, nos tornamos cada vez mais críticos e criteriosos nos conteúdos que acompanhamos. Eu prendo-me em imagens bonitas e cuidadas acompanhadas de textos genuínos e cuidadosamente pensados.
E posso dizer que a maior e principal razão que me leva a acompanhar seja que blog for é, sem qualquer margem de dúvida, a busca de inspiração.

Quando sigo um blog, o que eu procuro são coisas bonitas, imagens deliciosas, partilhas inspiradoras. Posso dizer que há muito poucos blogs que siga em demanda de uma realidade pura e dura {chega-me a minha… confesso}.

col_boloLimaoSalva2col_boloLimaoSalva4

E é por isso que o meu blog é uma partilha, não de uma realidade pura e dura, mas de uma realidade que visa inspirar. E digo realidade porque assim o é. Ainda que não a total realidade do meu mundo, parte da minha realidade de qualquer forma.
Hoje em dia, todos os meus posts são criteriosamente pensados e elaborados tendo sempre como objetivo principal a qualidade do conteúdo e a história que é contada como forma de inspiração. A história que está lá é real, são os meus cozinhados, é a minha família, os meus dias, a minha vida que partilho aqui. Simplesmente são momentos, histórias, pedaços selecionados.

BoloLimaoSalva-54col_boloLimaoSalva3col_boloLimaoSalva6


Se a minha vida é todo um mar pura calma, refeições lentas, passeios no parque e momentos absolutamente felizes? Absolutamente não. Há tantas outras coisas que fazem parte da minha vida, como da de qualquer pessoa. E convenhamos… ninguém acreditaria realmente que assim o fosse.

Mas quem aqui vem, quem me acompanha, procura algo. Quem me segue procura uma certa leveza, procura talvez um pouco da luz das minhas fotos num dia cinzento, procura uma refeição aconchegante num dia caótico, procura quem sabe… uma esperança e um apoio de saber que não é assim tão difícil ou complicado ter dois bebés ao mesmo tempo… ou três. Procura sorrir e fechar a página sentindo-se – assim espero – melhor do que quando a abriu. E por isso me continua a seguir.

col_boloLimaoSalva7col_boloLimaoSalva8

E é precisamente esta paixão que me faz continuar, que me faz amar este meu pequeno pedaço de mim. Saber que quem está do outro lado termina a leitura com um sorriso nos lábios ou com mais força para encarar os desafios da vida. Talvez mesmo com mais coragem para agarrar um sonho antigo.

E eu por cá vou continuando a partilhar e {assim espero} a inspirar. A partilhar receitas, histórias, fotos… o que quer que faça parte deste meu pequeno mundo.

E espero, honestamente e de coração aberto, que vocês desse lado continuem a sorrir e a voltar.
Ingredientes


  • 140gr de manteiga 
  • 1 chávena de açucar
  • 2 c. sopa de sumo de limão
  • raspa de 1 limão
  • 1/2 chávena de óleo de amendoim
  • 3 ovos
  • 1 1/2 chávena de farinha
  • 2 c. chá de fermento em pó
  • 1 c. café de sal
  • 1 c. sopa de salva picada muito finamente
para a calda de salva


  • 4 c. sopa de açucar
  • 1 chávena de água
  • 12 a 16 folhas de salva
Preparação

1. Pré-aquecer o forno a 180ºC

2. Bater a manteiga com o açucar durante algum tempo para que se forme um creme. Juntar o sumo de limão, a raspa de seguidamente o óleo e os ovos, um a um. 

3. Reduzir a velocidade e juntar a farinha com o fermento, o sal e a salva. Bater até ficar muito bem incorporado. 

4. Deitar o preparado numa forma untada e polvilhada de farinha. Levar ao forno cerca de 45 a 55 minutos ou até que o palito saia seco.

5. Numa caçarola colocar o açucar, a água e as folhas de salva. Deixar ferver até que comece a formar caramelo, mas tendo o cuidado para não deixar formar o caramelo castanho. Se necessário juntar um pouco mais de água para que fique com uma consistência de calda. Muito cuidado e não colocar o dedo para provar nesta fase.

6. Deixar o bolo arrefecer ligeiramente antes de desenformar e servir com um pouco da calda.




sigam o Suvelle Cuisine no Facebook Instagram }

 Bom apetite, Su


Orzo com frango no forno... e o dia dourado da semana.


{scroll down for english version}


Abro um olho, depois o outro… e penso em como ao sábado sou sempre mais feliz.

Pascoa_col2 Pascoa_coll4 Pascoa15-277

Em casa ainda tudo dorme – ou assim parece – e eu levanto-me antecipando já um dia cheio. De coisas boas, assim espero.
Um duche rápido enquanto ainda ninguém reclama o leite matinal sempre tão desejado, apronto-me e desço para abrir todas as janelas porque o sol já se sente resplandecente lá fora.

pascoa_col1 Pascoa15-394 Pascoa_col5 Pascoa15-616 Pascoa_Col9

Depois de muitos beijinhos entre meninos grandes, pequenos e pequeninos, depois de calça {e descalça} sapato, veste casaco e mais uns quantos beijinhos, saímos quase aos saltinhos porque… bom, é sábado.

Leite com café e pão tradicional na já habitual pastelaria – aquela com croissants deliciosos e pasteis de nata impossíveis de resistir – e alongamo-nos no tempo porque afinal é sábado.
No mercado – onde já nos vão conhecendo, talvez pelas criancinhas – perco-me pelas bancas numa ansiedade de ver o que me chama, o que de novo há, o que a época nos traz. Trago uns limões, umas batatas e não resisto, como sempre, às flores frescas.

Pascoa_col3 Pascoa15-439 Pascoa_col6

"Quero ir ao parque passear" digo-lhe e ele, como sempre, atende à minha vontade... à minha e à dos mais pequenos. 
Por ali os deixamos andar, perdidos pela relva enquanto nos perdemos, também nós, na alegria e efusividade dos seus risos. 

Pascoa_col7 Pascoa_col8 Pascoa15-650 Pascoa_Col11

Ao sábado é dia de passeio, de uma refeição mais elaborada. E com a Páscoa quase a chegar, porque não fazer umas amêndoas de chocolate caseiras. 

Pascoa15-537 Pascoa_Col10

O sábado é sempre o dia dourado da semana, aquele dia em que tudo sabe sempre melhor.



Ingredientes


  • 2 1/2 c. sopa de manteiga
  • 1 fio de azeite.
  • 1 chalota
  • 4 peitos de frango 
  • 250 gr massa orzo / pevide
  • 300 gr de cogumelos brancos laminados
  • 800 ml de caldo de legumes 
  • 2 c. sopa de folhas de alecrim fresco
  • Sal
  • Pimenta

Preparação

1. Pré-aquecer o forno a 200º

2. Numa frigideira anti aderente, 2 c. sopa de manteiga e colocar os peitos de frango para alourar de ambos os lados, deixando por 2 a 3 minutos. Reservar.

3. Numa caçarola/ panela que possa ir ao forno, colocar a chalota picada, o fio de azeite e restante manteiga. Deixar alourar a cebola. Juntar os cogumelos, o alecrim e uma pitada de sal e deixar que comecem a amolecer.

4. Adicionar o orzo e deixar fritar um pouco, mexendo sempre. Juntar o caldo, dispor os peitos de frango por cima e levar ao forno cerca de 45 minutos. 




sigam o Suvelle Cuisine no Facebook Instagram }

 Bom apetite, Su


09 10