Sweet Potato & Spelt upside-down Cake ... from my husband

{Bolo invertido de Batata doce e Espelta...  do meu marido}

O meu marido tem esta capacidade incrível de idealizar bolos e, em menos de nada, dar-lhes forma. Detesta que eu opine sobre os métodos dele mas adora que lhe diga o quão deliciosos são - e a verdade é que são mesmo.    
*
My husband has this incredible ability to idealize a cake and, in less than nothing, make it be. He hates that I give any kind of opinion about his methods but he loves when I tell him how delicious they are - and the truth is that they really are delicious.

SpeltSweetPotatoCake_col1 SpeltSweetPotatoCake_03 SpeltSweetPotatoCake_08 SpeltSweetPotatoCake_09

Coloca o avental ou, na maioria dos casos, o pano de cozinha ao ombro e retira a batedeira ... o que eu faria se tivesse uma batedeira decente... é algo que me diz sempre que o ritual começa.

É minucioso na arte de pesar os ingredientes e verdadeiramente tradicional nos seus métodos de pastelaria, talvez por isso os seus bolos fiquem sempre irrepreensíveis. 
A farinha é pesada numa balança de ponteiro, os ovos colocados num recipiente com água e sal e a forma sempre untada com manteiga e farinha. 
A massa essa nunca é batida em menos de 10 minutos.   
*

He puts on the apron or, in most cases, the kitchen cloth on his shoulder and gets the mixer out ... what I would do if I had a decent mixer ... is something that he tells me every time the ritual begins.

He is thorough in the art of weighing the ingredients and truly traditional in its methods of pastry, perhaps that is the reason why its cakes are always beyond reproach.
The flour is weighed in a pointer scale, the eggs placed in a container with water and salt and the pan always greased with butter and flour.
The dough is never beaten in less than 10 minutes.

SpeltSweetPotatoCake_col2 SpeltSweetPotatoCake_06 SpeltSweetPotatoCake_col3


Talvez seja uma das razões porque o amo tanto. Pela sua capacidade única de se dedicar de forma feroz e integral ao que realmente importa. Pelo o carinho que coloca em tudo aquilo que faz para a sua família e pela dedicação absolutamente altruísta com que o faz.   
*

Maybe that's one of the reasons I love him so much. For his unique ability to devote himself ferociously and integrally to what really matters. For the affection he places in everything he does for his family and for the utterly altruistic dedication with which he does it.

SpeltSweetPotatoCake_12 SpeltSweetPotatoCake_col4 SpeltSweetPotatoCake_15 SpeltSweetPotatoCake_18


Afinal um homem que faz um bolo assim é verdadeiramente único. E ele é o meu marido.  
*

After all, a man who makes a cake like that is truly unique. And he's my husband.






Ingredientes

  • 250gr batata doce + 1 batata doce média
  • 6 ovos (separados)
  • 150 gr açúcar mascavado + 1 c. sopa cheia
  • 1 c. sopa canela em pó
  • 1 pau de canela
  • 1 chávena de leite
  • raspa de 1 tangerina
  • 150 gr farinha de Espelta + para polvilhar
  • 1 c. sobremesa fermento
  • Manteiga para untar

Preparação

1. Cozer as 250gr de batata doce com o pau de canela. Pré-aquecer o forno a 180ºC

2. Barrar uma forma redonda com manteiga e um pouco de farinha. Forrar a base com um círculo de papel vegetal. 

3. Com uma mandolina cortar rodelas da batata doce e dispor na forma. Polvilhar com açúcar e canela e cobrir com mais um círculo de papel vegetal. Por cima colocar uma forma ligeiramente mais pequena para pressionar a batata (ou algo semelhante). Levar ao forno por 15 minutos.

4. Bater as gemas com o açúcar mascavado com uma batedeira por 10 a 12 minutos. Juntar o leite e bater mais um pouco para incorporar. Juntar o puré da batata doce cozida e a raspa da tangerina.

5. Aos poucos acrescentar a farinha e o fermento com a batedeira em velocidade baixa.

6.  Bater as claras em castelo e incorporar na massa do bolo.

7. Deitar o preparado na forma por cima da batata doce e levar ao forno por cerca de 30 minutos. Desenformar ainda quente voltando o bolo para um prato. Servir com doce de abóbora caseiro.




Spelt Apple Rolls... in a scented Fall

{Rolinhos de Espelta e Maçã... num Outono perfumado  }

Entramos no Outono como se fosse a primeira vez. Ainda não nos habituámos inteiramente a esta nossa nova realidade de um Outono tão perto da natureza, tão colorido, com nuances de caramelo e âmbar, perfumado com o cheiro de fumo das chaminés e as maçãs que parecem, por agora, não ter fim.      
*
We enter in Fall as if it were our first time. We have not yet fully grown used to this new reality of ours of a fall so close to nature, so colorful, with caramel and amber nuances, scented with the smell of smoke from chimneys and apples that seem, for now, to have no end.

SpeltAppleRolls_col2 SpeltAppleRolls_20 SpeltAppleRolls_col1 SpeltAppleRolls_21

Eles adoram o passeio pela manhã no passadiço que já se tornou nosso conhecido íntimo e nós adoramos ver as estações que lhes acompanham o crescimento. Esta traz uma névoa calorosa e algo mística que nos faz querer despedir do verão de forma calma mas segura.
Deixamo-los correr e brincar e corremos e brincamos também nós. Gostamos deste Outono, muito mais do que aquilo que poderíamos ter imaginado.      
*
They love the walk in the morning on the bridge that has become our intimate acquaintance and we love to see the seasons that follow their growth. This one brings a mist warm and somewhat mystical that makes us want to say goodbye calmly but assured to summer.
We let them run and play and we run and play ourselves to. We love this autumn, much more so than what we could have imagined.


SpeltAppleRolls_01 SpeltAppleRolls_col5 SpeltAppleRolls_05 SpeltAppleRolls_col6 SpeltAppleRolls_col4


Visitas para o lanche são o pretexto mais do que perfeito para para regressar e ligar o forno. As maçãs que ocupam cada recanto da cozinha tomam destaque na preparação de algo que seguramente nos aquecerá a alma.     
*
Visits later in the afternoon are the perfect excuse to return home and turn on the oven. The apples that are hidden at every kitchen nook take prominence in the preparation of something that surely we will warm our souls.

SpeltAppleRolls_24 SpeltAppleRolls_col7 SpeltAppleRolls_16 SpeltAppleRolls_col3 SpeltAppleRolls_09 SpeltAppleRolls_10


O Outono sabe-nos a perfeito assim. Nada de complicado, nada de demasiado elaborado. 
Apenas os cheiros e sabores simples daquilo que conhecemos desde sempre, cores que regressam sempre, cheiros que nos fazem sorrir de antecipação.    
*
Autumn feels perfect like this. Nothing complicated, nothing too elaborate.
Only the smells and simple flavors of what we know since ever, the colors that always return, the smells that make us smile of anticipation.

SpeltAppleRolls_17 SpeltAppleRolls_13 SpeltAppleRolls_15 SpeltAppleRolls_11




Ingredientes

Massa
  • 11gr fermento seco
  • 4 chávenas de farinha de espelta
  • 1 chávena de açúcar mascavado
  • 1 ovo
  • 1/2 c. chá de extrato de baunilha
  • 30 gr manteiga derretida
  • 1/2 chávena de leite escaldado
  • 1/2 chávena de água morna
  • 1 c. chá de sal 
Recheio
  • 6 maçãs
  • 20 gr manteiga
  • 2 c. sopa de açúcar mascavado
  • 2 c. chá de canela
Calda
  • 1 c. sopa de mel
  • 30 gr manteiga

Preparação

1. Aquecer o leite até que comece a querer ferver. Retirar do lume e deixar arrefecer até ficar morno.

2. Ao leite juntar a água, um pouco do açúcar mascavado e o fermento seco. Deixar repousar por cerca de 5 minutos.

3. Numa taça juntar 2 chávenas da farinha, o restante açúcar, o sal, a mistura do leite, o ovo ligeiramente batido e o extrato de baunilha. Misturar com uma colher de pau até que a massa se comece a formar. Juntar a restante farinha aos poucos e amassar até ter uma massa ligeiramente pegajosa. Formar uma bola e transferir para um recipiente. Tapar e deixar levedar cerca de 1 hora. 

4. Descascar as maçãs e cortar em pedacinhos. Colocar numa frigideira juntamente com a manteiga, o açúcar e a canela. Deixar a maçã caramelizar mexendo sempre. Deixar arrefecer antes de usar.

5. Com um rolo estender a massa num retângulo sob uma superfície enfarinhada. Por cima colocar o recheio da maçã e espalhar bem não chegando totalmente aos rebordos. Enrolar pelo lado mais comprido e cortar em vários pequenos rolos. Colocar num tabuleiro de forno ligeiramente separados. Deixar descansar por mais cerca de 40 minutos.

6. Levar ao forno pré-aquecido a 190ºC cerca de 20 a 25 minutos.

7. Para a calda levar o mel e a manteiga ao lume e deixar cozinhar por cerca de 5 minutos, mexendo sempre. Regar por cima dos rolinhos.





Quinoa tomato Spaghetti with leeks creamy sauce and grilled prawns & Date and coconut sugar Crème brûlée... Bio & Natural

{  Esparguete de Quinoa com molho cremoso de alho francês e camarões grelhados & Leite creme de Açúcar de coco e base de tâmaras... Bio & Natural  }


{ Este post foi feito com o patrocínio do El Corte Inglés / This is a Sponsored post by El Corte Inglés}



Uma pergunta que me fazem frequentemente nos meus Workshops é a do que eu considero ser uma alimentação saudável. 
E esta é uma pergunta que eu confesso me dar sempre um enorme prazer responder. 
*
A question I'm often asked in my workshops is what I consider to be a healthy diet.
And this is a question that I confess always gives me great pleasure to answer.


QuinoaSpaghetti_leeks&cream_02 QuinoaSpaghetti_leeks&cream_col1 Date&Coconutsugar_cremeBrullee_06


As modas, as dietas e sobretudo os extremismos não fazem, de forma alguma, parte daquilo que eu considero ser um estilo de vida saudável. 
Cortar o glúten ou a lactose apenas porque toda a gente à volta o parece fazer ou viver à base de um ingrediente em concreto porque é o superalimento do momento é, na minha opinião, algo que cria uma relação de profunda obsessão com a comida. 
E obsessão, seja de que forma for, nunca pode ser algo saudável.   
*
Fashion diets and especially extremisms do not make, in any way, part of what I consider to be a healthy lifestyle.
Cutting gluten or lactose out of ones diet only because everyone around seems to do so or living based on a specific ingredient just because it's the superfood of the moment is, in my opinion, something that creates a deep obsessive relationship with food.
And obsession, whatever the form it might take, can never be something healthy.


Date&Coconutsugar_cremeBrullee_col1 QuinoaSpaghetti_leeks&cream_10 QuinoaSpaghetti_leeks&cream_08 QuinoaSpaghetti_leeks&cream_col3 Date&Coconutsugar_cremeBrullee_12 Date&Coconutsugar_cremeBrullee_col2 QuinoaSpaghetti_leeks&cream_07 QuinoaSpaghetti_leeks&cream_col2 QuinoaSpaghetti_leeks&cream_12


Mas então o que considero eu afinal uma alimentação saudável? 

Em primeiro lugar, e na base da minha pirâmide alimentar, está a qualidade de qualquer que seja o ingrediente que trago para a minha mesa.   
É pois fácil de perceber que produtos biológicos são para mim essenciais. E não me refiro apenas aos legumes que são aqueles que claramente nos vêm de imediato ao pensamento. 

Uma aveia que é produzida à base de químicos não é melhor do que um legume fora de época de produção massiva. Uma bebida de soja não é boa apenas porque agora o inimigo é o leite de vaca.
Um 'queijo' Quark vegan não é saudável apenas porque tem a palavra vegan associada, quando na verdade a lista de ingredientes do produto é simplesmente irreconhecível.   

Saudável para mim é ter a certeza que os produtos que escolho, sejam eles legumes, cereais, laticínios ou até carne, são produtos de qualidade. Alimentos produzidos sem herbicidas, pesticidas ou hormonas e com respeito pelos ciclos naturais das plantas e dos animais.

Por isso saber que um supermercado em que já confiava, como o El Corte Inglés, agora dispõe de um novo espaço Bio & Natural exclusivamente dedicado a produtos biológicos que seguem as regras de certificação biológica foi para mim uma novidade fantástica.

Um espaço que cativa pela área acolhedora e quase familiar com uma oferta ampla de produtos nas mais diversas áreas: mercearia, frutaria, produtos lácteos, charcutaria e até garrafeira.  
Acima de tudo um espaço que privilegia a produção nacional e os pequenos fornecedores. 

E a verdade é que, com 3 crianças pequenas, poder fazer as compras todas num único espaço agradável, com o atendimento personalizado que caracteriza tão bem o El Corte Inglés é algo que qualquer mãe preza e muito.

*
So what do I think a healthy diet is after all?

First and on the very basis of my food pyramid, lays the quality of whatever ingredient I choose to bring to my table.
It is therefore easy to understand that organic products are essential for me. And I don't mean only vegetables that are clearly the ones that come immediately to our minds.

Oats that are produced through chemical usings is no better than a vegetable out of season from mass production. A soy beverage is not good only because now the enemy is cow's milk.
A vegan Quark 'cheese' is not healthy just because it has the word vegan associated, when in fact the product ingredients list is simply unrecognizable.

Healthy for me is to make sure that the products we choose, whether vegetables, grains, dairy products and even meat are products with quality. Food produced without herbicides, pesticides or hormones and respect for natural cycles of plants and animals.

So knowing that a supermarket that I already trust, such as El Corte Inglés, now has a new Bio & Natural space exclusively dedicated to organic products that follow the organic certification rules for me was fantastic news.
A space that captivates by the cozy and almost familiar area with a broad product offering in several areas: grocery store, greengrocer, dairy products, meats and even cellar.
Above all a space that favors National production and small suppliers.

And truth is that, being a mother of 3 small kids, being able to make my grocery shopping all in on e comfortable single place, with the personalized service that characterizes so well the El Corte Inglés is something that every mother cherishes a lot.

Date&Coconutsugar_cremeBrullee_04 Date&Coconutsugar_cremeBrullee_07 Date&Coconutsugar_cremeBrullee_col3

Saudável para mim é isto. Uma refeição com cor, sabor e qualidade. Um almoço de sábado em família com esparguete biológico de tomate e quinoa cremoso, sorrisos de alegria dos meus filhos enquanto me ajudam a preparar um crème brûlée diferente com uma camada de tâmaras e manteiga de amendoim e um topping crocante de açúcar de coco... tudo biológico claro. 

Saudável é poder confiar num espaço onde podemos encontrar os melhores produtos para tornar a nossa alimentação e a da nossa família o mais orgânica e sustentável possível. 

*

Healthy for me is this. A meal filled with color, flavor and quality. A Saturday family lunch with organic creamy tomato and quinoa spaghetti, smiles of joy from  my children while they help  me prepare a different crème brûlée with a date and peanut butter layer and a crunchy topping of coconut sugar... all organic of course.

Healthy is to trust in a space where we can find the best products to make our food and our family's one the most organic and sustainable as possible.





 { Esparguete de tomate e quinoa com molho cremoso de alho francês & camarões grelhados } 

Ingredientes


Preparação

1Cozer os camarões por 3 minutos. Descascar, deixando a cabeça a alguns.

2Numa taça misturar 1 c. sopa de azeite com o pimentão e as malaguetas picadas. Envolver os camarões e colocar num tabuleiro. Por cima colocar os alhos esmagados e a manteiga espalhada. Levar ao forno na opção de grill por cerca de 3 minutos.

3. Arranjar o alho francês, cortando pequenas rodelas da parte branca.

4. Cozer o esparguete de acordo com as instruções da embalagem.

5. Numa frigideira colocar 1 fio generoso de azeite e as rodelas de alho francês. Deixar alourar e juntar as natas. Mexer e deixar cozinhar em lume médio até que o molho engrosse. Juntar o esparguete cozido e envolver bem.

6. Servir o esparguete com os camarões, salpicar com um pouco de sal e regar com um fio de azeite.



{ Leite creme com açúcar de coco & base de tâmaras } 

Ingredientes

  • 30 gr de Açúcar de coco biológico + 2 c. sopa rasas para o topping
  • 6 tâmaras Deglet Noor biológicas
  • 20 gr de mel biológico
  • 2 c. sopa de água 
  • 1 c. sopa de manteiga de amendoim natural biológica
  • 5 gemas de ovos biológicos
  • 400 ml de leite evaporado biológico
  • 1 c. sopa rasa de amido de milho

Preparação

1Num processador colocar as tâmaras descaroçadas, a água, o mel e a manteiga de amendoim. Processar até obter uma pasta. Dividir por 4 tacinhas.

2. Bater as gemas com o açúcar de coco. Juntar o amido de milho e bater muito bem até estar bem incorporado.

3. Levar o leite ao lume até começar a ferver. Juntar metade do leite, uma colher de cada vez, às gemas mexendo sempre com uma vara de arames.

4. Deitar o preparado no tacho com o restante leite e levar novamente ao lume mexendo sempre até engrossar.

5. Dividir o creme pelas taças e deixar arrefecer.

6. Por cima de cada taça colocar o açúcar de coco e queimar com um maçarico. O açúcar de coco tende a fazer chama, deve apagar e continuar a queimar para criar a crosta.