Risoto de Prosciuto e Mozarella... e as minhas batalhas na vida.


{scroll down for english version}



Não acho que seja uma pessoa má, mas por vezes sou uma má pessoa.

Às vezes respondo torto às pessoas de quem mais gosto, quando sei que não o deveria fazer. Por vezes falta-me a paciência e a clareza de perceber que a irritação não me leva a lado nenhum.



E depois? Depois vem culpa. O sentimento de que sou uma má filha porque ralho com os meus pobres pais quando jamais o deveria fazer. O sentimento de que sou uma má esposa porque descarrego frustrações no marido que está lá sempre para mim, com toda a paciência do mundo.
Porque será que acabamos sempre, ainda que involuntariamente, a maltratar de uma forma ou de outra as pessoas a quem mais devemos respeito e carinho?

Tem sido uma das minhas lutas constantes de crescimento pessoal, o tentar tornar-me na filha que os meus pais merecem, o tentar ser a esposa a que o meu marido tem direito. Não me refiro a deixar de ser quem sou para passar a ser alguém ideal. Refiro-me sim a saber conter-me em momentos mais sensíveis e travar impulsos que só servem para entristecer as outras partes e deixar-me a mim, de seguida, de rastos.



Quero conseguir ter a paciência e clarividência necessárias para ajudar a minha mãe a ultrapassar uma das fases mais criticas na vida de qualquer mulher. Quero apoiar o meu pai para que sinta que não está sozinho nas batalhas inglórias que por vezes se lhe atravessam à frente. Quero estar sempre lá para o meu marido e não barafustar com ele apenas porque deixou umas pingas de água caírem no chão acabado de lavar.

Quero, daqui a largos anos, poder olhar para trás e não sentir culpas e arrependimentos mas antes a certeza de que tudo fiz para ser a pessoa que, todos aqueles que eu amo, merecem que eu seja.  



Quero olhar para as fotos de uma belíssimo e delicioso Risoto como este e não pensar que, naquele dia em particular, eu estava simplesmente insuportável e que as hormonas levaram a melhor numa luta que devia ser ganha pelo bom senso.

Quero conseguir ser uma melhor pessoa porque sei que se me esforçar o conseguirei ser.



Ingredientes

  • 1/2 chávena de arroz arbóreo 
  • 1/2 cebola pequena
  • 1 c. sopa de Azeite
  • 1 chávena de caldo de galinha (de preferência  biológico ou caseiro)
  • 1 mozarella fresca
  • 3-4 fatias de presunto curado
  • 1 c. sopa de creme culinário vegetal (alpro soya)
  • Sal
  • Pimenta


Preparação

1.Colocar a cebola no copo da bimby e picar na velocidade 3-4. Juntar o azeite e programar 3 minutos na temperatura 100º para que cozinhe.

2. Colocar a borboleta e juntar o arroz. Programar 4 minutos na velocidade colher de pau para que o arroz frite um pouco.

3. Adicionar o caldo de galinha a ferver, temperar com a pimenta e deixar cozinhar por 10 minutos, na temperatura 100º e velocidade colher de pau.No final,, se necessário, juntar mais um pouco de água a ferver e programar mais 2 a 3 minutos.

4. Juntar o presunto picado, reservando algum para guarnecer no final. Juntar a mozarella partida grosseiramente e deixar repousar 2 ou 3 minutos.

5. Servir com o restante presunto e mais um pouco de mozarella por cima.





Prosciuto and Mozarella Risotto... and my strugles in life



I don´t think I’m a mean person, but sometimes I am a bad person.

Sometimes I talk down to the people I love the most, when I know I shouldn’t.  Every now and then I lack the patience and clarity to know that anger leads me nowhere.  

And after that? After that comes the guilt. The feeling that I am truly a bad daughter because I scold at my parents when I should never do that. The feeling that I’m a bad wife because I unload my frustrations at my husband who's always there for me, with all the patience in the world.
Why is that we always end up even if unwittingly, one way or another, ill-treating the people to whom we owe more respect and affection.

This has been one of my personal growth constant struggles, trying to became the daughter that my parents deserve, trying to be the wife that my husband is entitled to have.  I don’t mean becoming someone entirely different of who I am. I only mean knowing  to restrain myself at some crucial moments and stopping impulses that serve only to grieve the other parts and leave me, afterwards, devastated.

I want to be able to have the necessary endurance and clairvoyance to help my mom going through one of the most complicated phases in every woman’s life. I want to support my dad so that he knows he’s not alone in the inglorious battles that sometimes cross his path. I want to always be there for my husband and not to wrangle at him just because he let some water drops fall to the just washed floor.

I want to, in the long years to come, look back and not feel any guilt or sorrows but only the certainty that I have made everything to become the person that the ones I love need me to be.

I want to look at the photo of a beautiful and delicious risotto like this one and not to think that, in that particular day, I was simply  impossible and that the hormones have taken the best of me in a fight that should be won by good judgment.

I want to be able to be a better person because I know that if I strive enough I can certainly achieve it.
 


Ingredients:

  • 1/2 cup of arborio rice       
  • 1/2 small onion 
  • 1 tblspoon Olive oil
  • 1 cup chicken broth (preferably organic or homemade
  • 1 fresh mozarella 
  • 3-4 slices of prosciutto
  • 1 tblspoon soya butter
  • salt
  • pepper
 

Method

1.Chop the onion and put in a pan with the olive oil. Bring to a medium heat and let it cook.

2. Add the rice and let it fry for a couple of minutes.

3. Add 1/2 cup of the chicken broth, boiling, season with pepper and let it simmer. When the broth is absorbed add another 1/2 cup and repeat the process. Keep doing that until you have used all of it.


4 Add the chopped prosciutto, reserving some for garnish at the end. Add the mozarella roughly shreded and let stand 2 to 3 minutes.

5. Serve with remaining prosciutto and a little more mozzarella on top.



   Bom apetite, Su

22 comentários:

  1. Ser melhor é daquelas lutas que terás até ao final...A pouco e pouco , muito lentamente mas a verdade é que a perfeição é inatingível, por isso, tenta fazer o teu melhor e vais ver que isso será o bastante!
    Belissimo risoto e apresentação espantosa!
    Bjokas
    Rita

    ResponderEliminar
  2. É todo um processo de aprendizagem, mesmo aos 60 anos podemos ainda ser melhores mas perfeitos jamais.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Como eu te entendo!!!

    E depois vem os filhos que levam também com esses momentos que tão pouco desejamos!

    Mas confesso que tiveste muita paciência para fazer esse magnifico risoto!!

    Bjocas

    ResponderEliminar
  4. Reconhecer os nossos erros e fragilidades, saber pedir desculpa e tentar ser sempre melhor, só por si já revela que não somos más pessoas.
    O crescimento pessoal é uma das mais árduas tarefas diárias, mas apenas para quem pretende evoluir enquanto ser humano.
    Quanto ao risotto está com óptimo aspecto e fico feliz que não tenha aipo, pois por mais que me esforce não consigo tolerar o seu sabor.
    Dias melhores virão, há que ter fé. Tudo de bom para a sua mãe e restante família.
    Um beijinho especial para si e outro para o seu filhote lindo!


    ResponderEliminar
  5. Um risotto fantástico, gostei muito.
    bjs

    ResponderEliminar
  6. SU, é em quem mais amamos que descarregamos as nossas frustrações... eu era exactamente assim, tal como descreveste, mas felizmente com os obstáculos que me são impostos, mudei, porque afinal eu preciso desesperadamente do apoio de quem amo, enfim, vais ver que vais conseguir, afinal tu tens o que é necessário para tal, tens a humildade de assumir que por vezes a irritação sobrepõe-se à razão.
    Bem, mas falando do teu risotto, eu adoro risotto, é uma paixão mesmo, esta tua sugestão ficou fantástica.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  7. Como eu te entendo. Felizmente o tempo tem-me ensinado que ser impulsiva nem sempre produz os melhores resultados. Tenho aprendido a medir os meus actos, e, apesar de continuar a ser eu, por vezes o simples facto de alterar 2 ou 3 palavras no discurso muda tudo. Todos crescemos, mas, a evolução é repensarmos o nosso eu e o dos outros com um único objectivo, saber que o "depois" não existe como uma pena a cumprir mas sim como mais um dia de crescimento. E todos agradecem ;)
    Beijinhos e boa semana.
    Já te disse que adoro os teus risottos?? Ficam todos com um ar tão delicado...

    ResponderEliminar
  8. Bem Su, aqui temos pano para mangas. Confesso que me revi no que escreveste e não consegui evitar soltar uma gargalhada ao pensar que reclamas quando o Nuno deixa cair pingas de água no chão acabado de levar. É que eu faço isso. E nem imaginas a luta interior que travo para evitar algumas das minhas "saídas" desagradáveis quando se trata destas coisas menores e sem importância mas que, por vezes, parecem assumir contornos maiores que o próprio mundo! Sim, tenho que melhorar (bastante!!!) e evitar descarregar as minhas impaciências em quem não merece ou em quem faz tudo para me ajudar e para que me sinta bem. E até porque nem sempre a paciência dos outros é infinita, pelo que quando as reacções não são de acordo com aquilo que eu espero deles, fico zangada e depois arrependida. E entretanto já se passou tempo em que dispendemos energias com maus sentimentos e que não nos levam a lado nenhum. Perdemos tempo que nunca mais vamos recuperar, porque o tempo não faz marcha atrás. Porque tempo que temos com os outros e para os outros não é como este belíssimo risotto, que pode ser repetido sempre que desejarmos...

    ResponderEliminar
  9. Olá Su,

    Confesso que me envergonhei um pouco ao ler-te, pois revi-me nessas situações tão menores do dia-a-dia, mas que sempre me irritam profundamente e engulo em seco muitas das vezes para não soltar um disparate qualquer que só me faria sentir bem momentâneamente...

    Pois é, quem está mais próximo geralmente leva por tabela, o que não é de todo justo, sabemos todos disso...
    Mas é a natureza humana Ser assim.

    O teu risotto está com uma aparência deliciosa, adorei as fotos !

    Beijinho

    ResponderEliminar
  10. Olá Su..
    Como sempre fico rendida à sua escrita reveladora de uma personalidade em crescendo..
    Tente evitar a "impaciência" mas não se penalize quando ficar impaciente..
    É humana e logo por isso imperfeita,quem recebe os seus inevotáveis impulsos..recebe tbm os geetos maravilhosos e mimos amiude que a Su dá e faz a cada momento..Conhecendo-a como é (linda de alma) ama-a ainda mais e vê as garras de uma leoa lutadora a querer dominar o seu MUNDO e ao redor dele..
    Su..pensar e refeltir é tudo quanto quem amamos pode querer de nós..é na reflexão e nos bons ideais de pensamento que todos juntos construimos um mundo melhor..não abuse mas não se culpabilize..impulsos e carinhos correm mundos de mãos dadas...o importante é olhar nos olhos dos que amamos e dizer estou aqui. amo-te..e desculpa..Agora..bora provar o seu risoto..hum está divinal..
    Um grande beijinho
    UmaAnónima

    ResponderEliminar
  11. Adorei o risotto. Vou levar a receita
    Beijinhos
    Mundo das Receitas
    http://mundodasreceitas.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  12. Olá,
    Adorei o risoto. está com um aspecto maravilhoso.
    Deixe lá, não é a única a ter esse sentimento. Eu também muitas vezes descarrego em quem mais gosto e depois quando paro para pensar, fico arrependida e até envergonhada, pela atitude. Será feitio, será stress, irritação do dia a dia, sei bem que não há nada que justifique ou desculpe as más atitudes, mas ás vezes parecem ser mais fortes que nós e não conseguimos segurar os nossos impulsos.
    Desculpe, este meu desabafo consigo, mas acabei por me rever um pouco.
    Beijinho

    ResponderEliminar
  13. Conheço bem essas lutas! Mas todos nós temos dias mais complicados que outros.
    Salvou-se o risotto e ao vê-lo e prová-lo ninguém pensará em mais nada, apenas neste delicioso risotto :) beijinhos

    ResponderEliminar
  14. Todos temos momentos mais complicados que outros... e essa luta para mais paciente com os outros é algo que se vai travando ao longo de anos e anos! Há que ir tentando, um pouco mais a cada dia, mas ninguem é perfeito...

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  15. Olá Su
    Todos nós temos momentos em que acabamos inevitavelmente por ferir os outros, principalmente as pessoas que mais gostamos e que estão sempre lá para nós...e por vezes com temas tão pequenos e sem significado, assim como uma simples gota de água caída no chão ou uma simples migalha...por vezes também me acontece)
    Pergunto-me muitas vezes porquê que o faço, deito culpas aos dias desgastantes no trabalho, na correria infernal em que vivemos, sei lá...são as nossas hormonas a falar mais alto que os nossos pensamentos!! Depois, é como dizes...chega um pedido de desculpas meio envergonhado e a questão...porquê? Parar para pensar nestes momentos, ajuda-nos a refletir sobre as nossas atitudes e a melhorar!! Faz parte da vida, não somos perfeitos mas podemos sempre melhorar!! São dias...não te culpabilizes, toda a tua familia sabe bem a pessoa terna que existe dentro desse coração!!
    Um beijinho

    ResponderEliminar
  16. Su,
    ninguém é perfeito, e temos momentos em que descarregamos naqueles que mais gostamos.
    Também já pensei sobre isso... mas acaba por ser o nosso escape, quem mais gostamos, quem está lá sempre.
    Ora o risotto é que está lindo e ao comê-lo esquece-se tudo.
    Um beijinho.

    ResponderEliminar
  17. Que belo risotto! De facto como a ginja diz ninguem é perfeito se fosse era uma seca :) beijos

    ResponderEliminar
  18. olá su, já seguia o teu blog desde o ...in stilletos e encontrei.te há uns meses de novo aqui. vou experimentar a sopa de cação e parabens pelo blog e fotos:)

    ResponderEliminar
  19. Oi Su, a coisa mais dificil de uma pessoa adquirir é o assumir sua culpa.Isso é uma grande qualidade sua.
    Arrepender-se mais uma qualidade dificil de se encontrar.Quando perderes a pasciência e vier o arrependimento e o sentimento de culpa diga para quem você feriu que se arrepende e sente muito.Isso te aliviará e aliviará o sentimento da outra pessoa a seu respeito.Você é cheia de qualidades, defeitos todos temos, admiti-los já é o primeiro passo para livrar-se deles.Esse risoto minha amiga ficou cremosinho e saboroso.Servi-lo com um sorriso no rosto tira qualquer sentimento ruim.Beijos querida e muita paz.

    ResponderEliminar
  20. Su,

    Também me revejo nas tuas palavras...
    Reagimos muitas vezes em modo "automático", são programações que vêm de trás (passado, personalidade, carácter, hormonas, educação)...que têm de ser alteradas e substituídas.
    Por vezes quando abrimos a boca...já é tarde!
    Neste momento estou nessa fase...a aprender a reagir com calma...a pensar antes de reagir (logo eu que sou impulsiva). Para isso temos de estar sempre conscientes, atentos, em vigília...só assim podemos evitar essas situações. Todos nós temos um lado sombra para curar.
    Gosto muito de ler os teus posts.

    O teu risotto está muito apetitoso :)

    Bjinhoos



    ResponderEliminar
  21. Pois que é mesmo nos que mais gostamos que por vezes pior tratamos, mas todos os dias aprendemos e quando a vontade está lá conseguimos tudo e vivemos muito melhor connosco..
    Um beijinho e nada como um belo de um risoto para melhorrar a disposição.. se bem que quando estou assim é mais bolo de chocolate...hehehehe
    Um beijinho

    ResponderEliminar
  22. Gostei muito das palavras que me foram aqui deixando. Por vezes também me pareço esquecer que as pessoas que eu amo também me amam e que sabem que por trás de alguns impulsos está sempre a verdadeira Su.
    Um grande beijinho para tod(o)as :)

    ResponderEliminar