Uma lágrima...


{scroll down for english version}



Consigo imaginar a dor. Consigo sentir o desespero e a angústia do que é perder o mais importante da vida. Sinto um aperto aterrador no peito e as lágrimas parecem querer brotar mesmo que sem a minha permissão.

Travo o pensamento de imediato porque o simples ato imaginar é demasiado doloroso. Não sei se conseguiria sobreviver. Não sei se conseguiria permanecer sã.

Olho para ele e agradeço, baixinho, por o ter comigo. Espero nunca na vida ter de suportar o tal aperto, o tal desespero, a maior das dores…
Por dentro choro por todas aquelas vidas perdidas e as de quem fica a chorar por elas. Choro pelos pequenos seres inocentes, pelos pais e familiares e por todos aqueles que têm de sobreviver a algo semelhante.
E choro também por todas as crianças do mundo que deveriam ter direito a nada menos do que segurança, proteção e carinho  e que, infelizmente, não o têm.

Olho de novo para ele e agarra-o na tentativa de o proteger do mundo.  E, baixinho… muito baixinho… agradeço de novo e de novo choro por eles

 Imagem daqui


  Su





One Tear...



I can imagine the pain. I can feel the despair and anguish of loosing what is the most important in life. I feel a terrifying grip in my chest and tears start to flow  even without my permission.

I stop the thought immediately because the bare notion of it is too painful. I do not know if I could survive. I do not know if I could stay sane.

I look at him and, quietly, I thank for having him with me. I hope I never ever have to endure such a loss, such a despair, the greatest of all pains…
Inside I cry for all those lost lives and for those who stay in this world crying for them. I weep for the little innocent beings, for their parents and family and for all of those who have to survive something similar.
And I also cry inside for all the children in the world who should be entitled to nothing less than safety, protection and care and that, unfortunately, do not.

I look at him once again and I hold him in my harms in an attempt to protect him of the world. And softly… so softly… I thank again and again I cry for them


Su

10 comentários:

  1. Só de pensar...fico completamente arrepiada nem quero imaginar a dor...

    ResponderEliminar
  2. Revejo-me naquilo que escreveste...
    Dou por mim a fazer o mesmo...
    Dou graças à MAIOR benção que tive...todos os dias.
    Bjinho Su.

    ResponderEliminar
  3. É algo horrendo, aterrador e inimaginável!
    Inevitável em tantas situações, contudo noutras...
    Afinal os monstros existem mesmo, andam entre nós e de um momento para o outro tudo pode mudar.
    Queremos poder protege-los de tudo e de todos e sabemos não nos ser possível!
    Resta-nos ter esperança que tudo vai correr bem e ser feliz por os ter em nossas vidas, são maior tesouro.
    Bjs

    ResponderEliminar
  4. como é que se sobrevive à morte de um filho? ....não é bom nem de pensar.

    beijinhos

    ResponderEliminar
  5. Nenhum criança merece o que aconteceu! Imagino a tristeza enorme no coraçao da familia!




    ResponderEliminar
  6. Que aperto que sinto. Pergunto-me, ainda que sem obter qualquer resposta, porque teriam aqueles anjinhos de pagar com a própria vida...

    ResponderEliminar
  7. Ninguém merece, muito menos os inocentes, não há palavras....

    Beijinhos

    Paula

    ResponderEliminar
  8. É demasiado triste trazermos ao mundo estas criaturas maravilhosas, dar-lhes todo o nosso amor, para depois criaturas que outrora já foram amadas como os nossos são, cometerem atos tão bárbaros.
    É muito triste...

    ResponderEliminar