Crumble de Tomate... e as decisões pelo coração


{scroll down for english version}

Há decisões que devem e têm de ser tomadas por impulso

Não podemos dar-nos ao luxo de pensar demasiado nos quês, porquês e para quês. Há que avançar por instinto e pelo que o coração nos pede. 




Por vezes há que agarrar a coragem que por vezes esquecemos ter e saltar para aquele barco em particular, acreditando que nos segurará ainda que balance e que no final nos levará à margem do rio onde o mundo será melhor e mais vibrante. 






Não podemos pensar e repensar todos os “se’s”… “e se o barco não aguentar o nosso peso?”, “e se o barco tiver problemas?”, “e se a margem que nos espera for, afinal, algo que na realidade não queremos” 
Tendencialmente as respostas a todas essas perguntas são aquelas que nos fazem não querer arriscar, que nos fazem ter medo de decidir e de ir em frente. 





 Mas a verdade é que por vezes há que simplesmente não pensar. Arrisca-se. Decide-se. E já está!

É que depois da decisão tomada resta-nos apenas, a nós próprios, garantir que essa foi a decisão acertada.

Ingredientes


Crumble
  • 1 1/2 chávena farinha
  • 2 c. sopa queijo mozarella ralado
  • 1 c. sopa cheia de creme vegetal frio
  • 1 c. chá de sal
 Recheio
  • 12 a 16 tomates cherry
  • 1 c. chá de sal
  • 3 c. sopa de mozarella ralado

Preparação

1. Pré-aquecer o forno a 200º

2. Colocar os ingredientes do crumble num processador e pulsar até que se formem grumos de massa.

3.  Colocar os tomates inteiros num tabuleiro de forno e espalhar o queijo e polvilhar com o sal.  Tapar com o crumble uniformemente.

4. Levar ao forno por cerca de 40 minutos.

 Bom apetite, Su





Tomato Crumble... and the heart decisions 

There are decisions that should and must be taken on impulse. 
We cannot allow ourselves the luxury of thinking too much on the what’s, whys and wherefores. One must go by instinct and what the heart asks for. 

Sometimes it is necessary to grasp the courage that sometimes we forget to have and jump to that particular boat, believing that it will hold even if it sways and that ultimately it will lead us to the river shore where the world will be better and more vibrant. 

We cannot think and rethink all the "ifs" ... "what if the boat will not hold our weight?", "And if the boat has problems?", "And if the margin that awaits us is, after all, something that in reality we do not want " Almost every time the answers to all these questions are those that make us not want to risk, that make us afraid to decide and go ahead. 

But the truth is that sometimes one must simply not think. One should risk. Decide. And that's it! 

Is that after the decision remains for us only to ourselves, to ensure that this was the right decision.


Ingredients:


  • 1
 

Method

1.Grease


 Bom apetite, Su

18 comentários:

  1. Eu também sou assim: decido por impulso e sigo os meus instintos. Às vezes arrependo-me, mas o que está feito feito está :)

    Beijinhos e tem uma boa noite :D

    ResponderEliminar
  2. Adoro tudo no seu blog, as receitas, as fotos e sobretudo do que escreve e como escreve. Nem imagina o que me transmitem estas suas palavras. Eu fiz isso mesmo, troquei o certo pelo incerto, dei o salto sem rede e quando penso no que fiz... sinto um frio na barriga. Só me resta aprender a não pensar e ser capaz de garantir que foi a melhor opcao . Obrigada e um grande beijinho.

    ResponderEliminar
  3. Assim nunca fiz mas acho que ia adorar.
    Excelente aspecto
    bjs

    ResponderEliminar
  4. Acho que os "ses" vão sempre fazer parte da nossa vida, porque temos sempre receio de errar e as consequências que esses erros podem trazer não tanto a nós mas aos nossos queridos. Isso não quer dizer que de vez em quando não sou impulsiva :) e também sabe muito bem.
    Óptima receita, vou experimentar certamente.
    http://flordobrownie.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  5. Esse é só e apenas um dos dilemas da nossa vida mas por vezes o mais importante pois decide muita coisa...
    Este crumble foi uma boa decisão pois está tentador!
    Bjoka
    Rita

    ResponderEliminar
  6. Bela receita, e belas palavras...
    beijinhos
    http://sudelicia.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  7. Concordo. Por vezes o pensar muito leva-nos a adiar tomadas de decisão. É preciso ter coragem para decidir por impulso, quando a situação assim o exige ou justifica. Mas impulso não é coisa que seja preciso para este crumble salgado :)

    ResponderEliminar
  8. este prato deve ser um verdadeiro mimo!
    e as tuas fotografias são sempre tão bonitas...

    ResponderEliminar
  9. Que maravilhosa refeição, kiss
    Susana

    Nota: Ver os passatempos a decorrer no meu blog:

    http://tertuliadasusy.blogspot.pt/2013/04/projeto-escolha-do-ingrediente.html

    http://tertuliadasusy.blogspot.pt/2013/04/passatempo-meiaduzia-de-mimos-para-ti.html

    ResponderEliminar
  10. Este crumble soa-me tão bem, que lindas fotos como sempre :)
    Às vezes temos mesmo de arriscar, vencer os medos e ir!
    Um beijinho.

    ResponderEliminar
  11. Concordo...em pleno... Ainda que nao seja uma mulher de impulsos e pense ate à exaustão... Por vezes quando dou conta, simplesmente ja passou. Momento... Enfim... Adorei o crumble, adoro crumbles. Ainda nao me iniciei nos salgados mas este merece-me uma excelente escolha.

    ResponderEliminar
  12. Penso que as decisões mais bem tomadas são sempre as que tomamos por impulso. O coração raramente se engana enquanto que o cérebro pesa mal os prós e os contras muitas vezes. Beijinhos

    ResponderEliminar
  13. (já é a 3ª x que tento comentar e carrego sempre, em alguma tecla que não devo :)
    Então queria eu dizer, será que vem ai um mano para o Rafael, Su? :)

    ResponderEliminar
  14. Olá!

    Adorei a sugestão :) deve ser muito saboroso!

    Beijinhos

    Arco-íris na Cozinha
    http://arcoirisnacozinha.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  15. às vezes é mesmo preciso arriscar sem pensar muito (ou pensar com o coração que é o melhor).
    Belissima receita..
    Bjs e bom fim de semana

    ResponderEliminar