Pães tipo Pita... e o chegar a todo lado.


{scroll down for english version}

Esta noite sonhei com algo que me incomodou. Não foi bem um pesadelo, mas ainda assim foi um sonho mau.





Sonhei que era o dia da mãe, e que eu estava a trabalhar. Tinha algumas tarefas em mãos mas nenhuma se parecia querer completar em breve. Estava tudo a atrasado e eu tinha timmings para cumprir. Um documento urgente para entregar e mais uma ou outra tarefa da qual outros colegas dependiam.

E eu ía vendo as horas passarem e lembrava-me de que o meu pequenito estaria em casa à minha espera e que eu ainda tinha de passar na florista para comprar flores para a minha mãe.
Sentia-me angustiada. O tempo passava cada vez mais depressa e eu simplesmente não conseguia terminar o trabalho.
Sentia que não iria conseguir fazer nada. Não conseguiria terminar o meu trabalho, não conseguiria ir à florista... não conseguiria chegar antes do meu bebé ir para a cama.





Era um sentimento deveras avassalador. Sentia que não conseguia chegar a todo o lado. Acordei do sonho mas por incrível que pareça a sensação permaneceu.
Talvez porque na verdade eu sinta que muitas vezes não consigo chegar a todo lado. Não consigo fazer a 100% todos os meus papeis. E isso assusta-me e deixa-me triste porque queria muito conseguir.

Mas creio que a vida é assim mesmo e, por muito que me custe, a verdade é que não posso passar a vida angustiada por não conseguir fazer tudo aquilo que gostaria.






Tal como não pude ficar angustiada por constatar que aqueles que supostamente deveriam ser uns finos e belos Pães Pita, resultaram nuns pães fofos que de Pitas... só mesmo a forma.
A verdade é que ainda que não tenha resultado na perfeição que eu idealizei, o resultado final foi muito bom e não deveria ser ignorado.

Tal como não devo e não posso ignorar aquilo que consigo fazer bem... mesmo que não seja aquilo que eu acharia que deveria ser.

Ingredientes


  • 3 3/4 c. chá de fermento seco
  • 2 chávenas de água morna
  • 1 c. chá de açúcar
  • 1/4 chávena de óleo
  • 1 c. chá de sal
  • 5 chávenas de Farinha de Trigo
 

Preparação

1. Colocar os ingredientes liquidos na cuba da Máquina de Fazer Pão e acrescentar o fermento seco e o açucar. Introduzir a farinha e o sal. Ligar a máquina no programa massa.

2. Pré-aquecer o forno nos 200º.

3. Retirar a massa para uma superfície enfarinhada e dividir em 6 porções. Formar discos e colocar num tabuleiro de silicone de ir ao forno. - Para os pães pitas deverá dividir a massa em 16 porções e prosseguir.

4. Levar ao forno até que cresçam e fiquem ligeiramente tostados.


Recipe original aqui

 Bom apetite, Su





Pita Kind of Buns... and getting everywhere 

This night I dreamed of something that bothered me. Not quite a nightmare, but it was still a bad dream.  

I dreamed that it was Mother's Day, and I was working. I had some tasks at hand but none seemed to complete soon. Everything was late and I had to meet timings. An urgent document to deliver, and one or more other task on which colleagues depended. And I was seeing the hours pass and I remembered that my little guy would be at home waiting for me and I still had to go to the florist to buy flowers for my mother. I felt distressed. 

The time went faster and faster and I just couldn't finish the job. I felt I wouldn't get anything done. I could not finish my work, I could not go to the florist ... I couldn't get to my baby before he went to bed. 
 It was an overwhelming feeling indeed. I felt I couldn't reach everywhere. 

I woke up from the dream but oddly enough the feeling remained. Maybe because I actually feel that often I can't reach everywhere. I can't fill 100% all of my roles. And it scares me and makes me sad because I wanted to really get there. 

But I believe that life is like that, and as much as it pains me, the truth is that I can not spend my life in anguish for not being able to do whatever I would like. 

As I could not get distressed to see that those who are supposed to be a fine and beautiful Pita Breads, resulted in some cute buns that resulted in something other than Pitas ... just the same way. The truth is that although it did not result in perfection that I have devised, the end result was very good and should not be ignored. 

As I do not and can not ignore what I can do well ... even that is not what I would think it should be.


Ingredients:


  • 3 3/4 teaspoon active dry yeast 
  • 2 cups water 
  • 1 teaspoon sugar 
  • 1/4 cup oil 
  • 1 teaspoon salt 
  • 5 cups bread flour
 

Method

1. Place the ingredients in your bread machine liquids first, followed by sugar, yeast, then flour, and finally the salt gets added within a well in the flour

2. Start your dough cycle. 

3. Once your dough cycle is complete, divide dough into 6 pieces (for pita divide into 16 pieces). Roll out each piece into a circle. 

4. Meanwhile, preheat oven to 200°C. 

5. Place ungreased baking sheet on lowest rack in oven. Quickly transfer a few pitas at a time to heated baking sheet; bake until puffed and light brown around the edges. 

Recipe adapted from here
 Bom apetite, Su

17 comentários:

  1. Ando há que tempos para testar uma receita de pocket pita bread. Normalmente os que faço (e que se comem na grécia) são pães pita espalmados, que podemos cozer numa frigideira bem quente, calham sempre bem :)

    ResponderEliminar
  2. Ficaram perfeitos! As fotos ficaram lindas!

    Beijinhos;

    Aurea Sá

    ResponderEliminar
  3. Aqui esta um pão que nunca fiz,esses ficaram lindos e tão perfeitos.
    bjs

    ResponderEliminar
  4. Eu percebo, ás vezes também fico com essa sensação, quero fazer tudo...e fazer tudo bem e ás vezes é simplesmente impossível!
    esta recita vai direitinha para a minha lista :)
    beijinhos e boa semana

    ResponderEliminar
  5. Te quedaron perfectos esos panes , besos

    ResponderEliminar
  6. Podem não ter ficado pães pita, mas aposto que estão deliciosos :D

    Beijinhos e tem uma óptima semana :D

    ResponderEliminar
  7. Pois é... dai eu estar sempre a pedir para que o dia tenha mais 24 horas... não dá para tudo, e se queremos dar atenção a uma coisas fica outra para trás... enfim - haja pãezinhos destes para nos ajudar.. :)
    beijinhos e uma boa semana

    ResponderEliminar
  8. Esquece lá se não ficaram como idealizaste! É precisamente por isso que são ainda mais fantásticos!

    (E eu estou deste lado a babar)

    ResponderEliminar
  9. Ninguém consegue chegar a todo o lado, mesmo que queira dar a parecer que sim. É por isso que temos de definir bem as nossas prioridades e o que é para nós o sucesso, é que pode ser bem diferente daquilo que os outros acham que é ser bem sucedido. Custou até chegar lá mas hoje tenho bem claro na minha cabeça que há áreas da vid que NÃO são prioridade, são necessárias mas se tiver de dar mais noutras áreas e tirar daí que seja. Somos humanos, limitados, não dá para chegar a tudo, não dá... aceitar isso é deixar aquele sentimento de frustração que sempre fica quando somos perfecionistas. Aprende-se com esforço mas chega-se lá.
    Esquece os pães Pita e pensa que são só os primeiros. Por vezes temos mesmo de pensar "TF o que interessa é que se comem".

    ResponderEliminar
  10. Pelo aspecto parece-me uma delícia, mesmo que de Pita só ten ha a forma!
    Beijinhos
    http://sudelicia.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  11. Nem sabes como te compreendo Su.... :)
    Lindas fotos, os pães estão apetitosos :)

    Um grande abraço

    ResponderEliminar
  12. Identifico-me tanto com estas palavras....
    beijinho :)

    ResponderEliminar
  13. Pode indicar as medidas correspondentes às chávenas? Estamos a falar de american cups?

    ResponderEliminar
  14. Ha sonhos que são mesmo assim, apesar de não serem maus, são angustiantes de tal forma que mesmo depois de acordar eles continuam no pensamento.

    Não são pães pitas, mas acho que estão com optimo aspecto :)
    *

    ResponderEliminar
  15. Que perfeição, adoro tudo o que fazes sabes disso não sabes :)

    ResponderEliminar
  16. Uma vez mais me revejo no que escreveste... Para onde quer que me vire sinto essa angustia permanente a que se junta a minha mania de tentar dar sempre 200% de mim... Claro esta que matematicamente nao é possível, assim como na vida real tambem nao... E a frustração instala-se e por isso o subconsciente vive esse sentimento tão intensamente :-(. Ainda nao consegui arranjar forma de lidar com isso nestes 34 anos de existência, mas talvez por esta característica estar tão presente me vou saindo razoavelmente em algumas partes da minha vida, ainda que claro, como tu, nunca esteja satisfeita com o resultado final... Enfim... Goste dos pães,muito! Cá por casa fazemos algumas vezes, utilizamos a receita da Bimby e resulta muito bem... Ainda assim acho que preferia esta receita, com manteiga, hummmmm

    ResponderEliminar