Tarte rústica de coelho... a os dias de loucura


{scroll down for english version}


Cá em casa também há dias de loucos… oh, se há! 

Dias em que a Cris berra qual tenor, a Sofia lamuria-se ininterruptamente numa clara competição com a irmã, o Rafael decide iniciar uma daquelas birras descomunais porque o carro vermelho não tem uma roda (que ele próprio tirou), porque o banho (que ele não queria tomar) termina depressa demais, porque o jantar é batatinha em vez de arrozinho… 

Col1

Eu mal oiço o Nuno a falar comigo e mal me oiço a mim própria a pensar. Aliás, chega um ponto em que toda a minha capacidade de pensar se extingue e entre tenores, guinchos e gritos abismais só me apetece fugir para um lugar recôndito no fim do mundo… de preferência onde só haja silêncio e nada mais. 

TartwRusticaCoelho-4 TartwRusticaCoelho-1-2

Nesses dias de caos confesso que sinto laivos de loucura a invadir-me a mente. Nesses dias confesso que anseio pelas nove da noite para deitar os monstrinhos meninos e poder ouvir apenas… silêncio.  
Nesses dias sinto vontade de chorar até os olhos me saltarem da cara como se isso pudesse calar o mundo inteiro - ou pelo menos aquele meu mundo lá de casa.

TartwRusticaCoelho-3

E a verdade é que não há nada mais a dizer. Há dias assim, porque também isso faz parte. Faz parte da maternidade sofrer um pouco, desesperar um pouco, ir abaixo um pouco.

TartwRusticaCoelho-5

Nesses dias resta apenas ir para cama, fechar os olhos e esperar por um sono de sonhos bons e que o dia seguinte seja bem melhor do que o que passou. 



Ingredientes


  • 2 placas de massa quebrada
  • 2 pernas + 2 peitos de coelho
  • 1/2 cebola
  • 1 fio de óleo de amendoim
  • 1/2 copo de vinho tinto
  • 1 c. chá de tomilho seco
  • 1 c. sopa rasa de farinha
  • 300 gr de feijão verde redondo congelado
  • 100 gr de cogumelos brancos frescos
  • Sal
  • Pimenta

Preparação

1. Num tacho colocar a cebola picada e o fio de óleo. Deixar alourar e juntar a carne deixando alourar de todos os lados. Reduzir o lume e deixar cozinhar por 5 minutos.

2. Juntar os cogumelos, o tomilho e o vinho e temperar de sal e pimenta. Deixar por mais 5 minutos até os cogumelos começarem a reduzir. Retirar a carne do tacho e, depois de arrefecida, desfiar e reservar.

3. Juntar a colher de farinha e mexer muito bem para que dissolva bem e deixar por mais 2 a 3 minutos para que cozinhe. Adicionar o feijão verde e tapar e deixando cozinhar por cerca de 10 minutos mexendo frequentemente para não deixar agarrar. Retirar do lume e deixar arrefecer.

4. Forrar uma tarteira com uma placa de massa e dispor o preparado já envolvido com a carne desfiada. Tapar com a outra placa folhada e fechar os rebordos unindo a massa. Levar ao forno a 200º por cerca de 15 a 20 minutos ou até alourar.




sigam o Suvelle Cuisine no Facebook Instagram }

 Bom apetite, Su



Rustic rabbit pie... and the madness days

We do have some crazy days here at home... oh yes we do!

Days when Cris screams like a master tenor, Sofia whines endlessly in an obvious competition with her sister, Rafael decides to start one of those colossal tantrums because the red car doesn't have a wheel (that he took by the way), because the bath (which he didn't even wanted to take) ends too quickly, because the dinner is potato instead of rice... 


I can barely hear Nuno talking to me and I barely hear myself thinking. Actually, there comes a point where all my ability to think is extinguished among tenors, winches and abysmal shouts and I just want to escape to a secluded place at the end of the world ... preferably where there is only silence and nothing more. 


In these days of chaos I confess I do feel a tinge of madness invade my mind. I admit that in days like these I long for the nine o'clock time when the little monsters children go to bed and I'm able to hear ... only silence. 

In those days I feel like crying until my eyes pop out of my face as if it could shut the whole world - or at least my own world back home. 

And the truth is that there is nothing more to say. There are days like this, because this too is part. It's part of motherhood to suffer a little, to become a little desperate, to go down a little. 


In those days the only thing left to do is go to bed, close my eyes and wait for a good sleep with good dreams and hope for the next day to be better than the one that has just ended.



Ingredients:


  • 2 sheets of shortcrust pastry 
  • 2 legs + 2 breasts from rabbit meat  
  • 1/2 onion 
  • 1 drizzle peanut oil 
  • 1/2 cup of red wine 
  • 1 tspoon dried thyme 
  • 1 tblspoon flour 
  • 300 gr of round green beans frozen  
  • 100 gr of fresh white mushrooms 
  • Sal 
  • pepper


Method

1.Place the chopped onion and the oil in a pan. Let it brown and add the meat and make sure it's browned on all sides. Reduce the heat and simmer for 5 minutes. 

2. Add the mushrooms, thyme and wine and season with salt and pepper. Leave for 5 minutes until the mushrooms begin to reduce. Remove the meat from the pan and let it cool, shred and set aside. 

3. Add the tablespoon of flour and stir to dissolve well and leave for another 2 to 3 minutes to cook. Add the green beans and cover, let cook for about 10 minutes stirring frequently. Remove from heat and cool. 

4 Line a tart pan with a sheet of pastry and arrange the filling already involved with the shredded meat. Cover with the other sheet and seal the edges joining the dough. Bake at 200 ° for about 15-20 minutes or until golden.



follow Suvelle Cuisine on Facebook and Instagram}

 Bom apetite, Su

29 comentários:

  1. Não consigo deixar de sorrir a pensar na loucura que deve ser esses dias. Mas até as melhores mãe precisam de tréguas de vez em quando. :)
    A tarte está linda, e eu n como coelho..... ;)
    Abraço apertado

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ui... qualquer mãe precisa de tréguas... e olha que nesses momentos senti-mo-nos tudo menos "melhores mães" :)
      Grande beijinho

      P.S. Substitui o coelhito ;)

      Eliminar
  2. Ai Su, como eu te compreendo! E eu só tenho um pequenino, mas ha dias que fico mesmo com os cabelos em pé e só me apetece gritar!!! Depois enervo-me, ele enerva-se e depois fazemos as pazes! Só me apetece fugir!!!!
    Há que ter paciência!!!!!
    Bela tarte que apresentas, sempre um regalo para os olhos!
    Bjinhos e votos de dias bons!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Rute, sim... eu também já tinha assim estes dias antes das meninas. Aliás, agora é só mais barulho misturado... ;)

      Eliminar
  3. Sim, há dias assim, de uma perfeita loucura. Ser mãe é assim: intensidade a todos os níveis ❤️😉

    http://thepositivemood.blogspot.pt/2014/09/tenho-mimo-de-ti.html?m=1

    ResponderEliminar
  4. que bela receitinha!
    Beijinhos,
    http://sudelicia.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  5. E que no dia seguinte eles berrem menos, ou mais baixinho :)

    ResponderEliminar
  6. Eu só tive um filho mas imagino que não seja fácil ter três crianças , mas ser mãe é isso mesmo uns dias loucos outros mais calmos.
    Achei a tua tarte linda .
    bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Honestamente acho que 1 ou 3 ... não há assim muita diferença, é só mais vozes. Não acho que fosse mais tranquilo quando era só ele... agora tenho é mais duas ladies que entram no festival também :P

      Eliminar
  7. Tenho dias assim, já não com crianças bebés que gritam, mas com uma (apenas umazinha) pseudo adolescente, que me chama de minuto a minuto.
    Sinto a cabeça bloqueada. Não consigo fazer fluir os meus pensamentos, porque são constantemente interrompidos! Ufa!
    Entendo-te tão bem! Bastam-me as noites, depois de irem para a cama, e mesmo assim ainda chama para o copinho de água :-), para conseguir organizar os neurónios ;-)
    Há dias assim... faz parte ;-)
    Beijinhos querida Su
    Cláudia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem me fales na adolescência que me dá já aqui o treco ;)

      Eliminar
  8. uma casa com 3 crianças pequenas deve ser uma loucura...mas uma loucura boa :)
    posso roubar uma fatia de tarte?
    beijinhos

    ResponderEliminar
  9. Essa tarte fico qualquer coisa de "comfort" para o dia de hoje. Quanto aos teus dias, ainda não sei o que isso é, agora tirando nós os dois existe esse tal silêncio que sentes falta. beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando deres por isso estarás a ansiá-lo de volta ;)

      Eliminar
  10. http://www.youtube.com/watch?v=TTm8KHqhnys

    "Perde" 4 mn do teu tempo a assistir a este vídeo... alivia num instantinho o mal estar que se sente quando se é apenas e só mãe... apenas e só ser humano!!

    Saudações transmontanas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tão verdade minha querida.

      Grande beijinho

      Eliminar
  11. Su não vou entrar na minha conta Google porque não estou no meu pc mas vou dizer-te que sou a Brown Eyes (Mary Brown). Não te esqueci, apenas tenho estado ausente mas, hoje, passei pelo Blog Vogue.pt para ver quem eram os 15 blogs de culinária portugueses escolhidos, na esperança de encontrar o teu, por achar que é o melhor blog de culinária que já conheci e fiquei super feliz por o encontrar por lá mencionado. Já deves conhecer mas, se não, fica o link:
    http://www.vogue.xl.pt/lifestyle/tendencias/detalhe/top_15_blogues_de_culinaria_portugueses.html
    Beijinhos
    Brown Eyes

    ResponderEliminar
  12. Hehe...o meu tira-me do sério...há dias que são para esquecer. Por vezes já nem sei como agir!!
    É preciso uma boa dose de calma e paciência...
    Gostei do feijão verde na tua linda tarte, é fora do vulgar e deve conjugar lindamente com a carne.
    Ficou deveras apetitosa!
    Bjinho

    ResponderEliminar
  13. Há mesmo dias assim, e se eu que não tenho filhos já os tenho, na clínica e em casa, imagino tu, querida.
    Mas há as partes boas, e as tuas fotografias lindas e a tarte de conforto.
    Um beijinho.

    ResponderEliminar
  14. eu também tenho dias tão assim (mas sem filhos, pois, nem me posso queixar)
    e ainda bem que há dias assim porque depois chegam dias em que fazes tartes lindas e fotografas com tanta perfeição :) um beijinho*

    ResponderEliminar
  15. Ah, as alegrias da maternidade... como me disse uma amiga são as estações da vida. Aproveita bem cada uma! Em dias assim tento manter a cabeça acima das ondas ;)
    E a tarte está linda (e deve ser deliciosa...).
    Beijinho grande

    ResponderEliminar
  16. Eu só com uma com 13 anos neste momento... ai é um filme, quanto mais com 3... :)
    Mas depois olham pra nós com aquele amor todo nos olhitos e tudo nos passa :)
    Essa tarte ficou mesmo fabulosa, e tão prática de preparar.. Tenho de me aventurar!!
    beijinhos querida

    http://ratatuidospobres.com/

    ResponderEliminar
  17. Mães também têm os seus momentos de fragilidade.
    Uma receita simples e deliciosa.

    ResponderEliminar
  18. eu admiro as mães ... não conseguia ...pode parecer egoísmo da minha parte mas preciso mesmo de silencio por isso optei por morar sozinha ... mas sou uma óptima tia :)

    ResponderEliminar
  19. Querida Su,
    Pois são estes dias que nos lembram que somos humanos e normais e é normal que te sintas frustrada, ou irritada, ou que grites, ou não. Esses são os dias de excepção, mas que acabam por ser o equilíbrio de todos os dias.
    Amo coelho e esta tua tarte está de dar água na boca!!
    Um beijinho,
    Lia.

    ResponderEliminar