Granola de pétalas de rosa com chocolate e amêndoas... e a dificuldade de educar

{scroll down for english version}

Ser mãe e pai é possivelmente uma das coisas mais difíceis da vida. Educar uma criança é uma tarefa árdua, complexa, cheia de dúvidas e nenhumas certezas.

untitled-26-3 GranolaRosasCol

As teorias essas, temo-las bem firmes nas nossas mentes. Sabemos o que fazer para que aprendam a dormir, para que não ganhem manhas. Mais tarde sabemos exatamente qual a estratégia a aplicar na hora da birra, na hora do banho e na hora da refeição.

Desenhos animados, só aqueles que aprovamos - de preferência sem qualquer tipo de violência - e brinquedos selecionados e bastante racionados. Afinal, os nossos filhos têm de aprender a dar valor às coisas que têm e ao que a vida lhes proporciona. 

untitled-21-3

Mas a realidade é tão, mas tão diferente. Só quem tem filhos, só quem passou por cada uma das fases que educar uma criança implica, compreende este texto. 

É duro, tão ingrato e até injusto quando em determinados momentos deixamos de nos reconhecer, quando nos tornamos naquela mãe irritada, furiosa, de cabeça num oito porque, sejamos sinceros, quem afinal consegue ganhar uma batalha com um simples miúdo de 3 anos? E quando a frustração de vermos sem resultado as nossas insistências, dia após dia, birra após birra, se reflete nos que nos estão mais próximos, nos que mais nos ajudam, naqueles em quem não devíamos descarregar nos deixa com um sentimento de culpa avassalador.

untitled-30 GranolaRosasCol2

Sim, é duro. É ingrato e injusto por vezes. No fundo fazemos o melhor que podemos. Bem ou mal, fazemos o que acreditamos, o que o nosso instinto nos diz ser melhor. Por vezes - muitas vezes - questionamo-nos se será o correto.

Mas é então, que ali, algures entre o banho, a birra ou jantar temos um relance daquilo pelo que qual lutamos dia após dia. Um carícia terna e pura, livre de qualquer intenção ou preconceito. E é precisamente aí que vamos buscar forçar, que sorrimos e pensamos... sim, é duro, é injusto e por vezes ingrato, mas este ato é meu, é por ele que luto diariamente, é este pedacinho dele que me faz saber que nem tudo o que faço estará errado.

Ingredientes



  • 2  ½ chávenas de flocos de aveia
  • 1 chávena de Amêndoas em pedaços
  • ½ c. chá de sal
  • ⅔ chávena de pedaços de chocolate negro
  • 3 c. sopa de pétalas de rosas secas comestíveis
  • ½ chávena de manteiga sem sal
  • ½ chávena de xarope de Agave
  • 1 c. sopa de água de rosas
  • 1 clara de ovo

Preparação


1. Pré-aquecer o forno a 150º.

2. Juntar a aveia com as amêndoas, o sal, o chocolate e as pétalas de rosa. 

3. Numa caçarola, derreter a manteiga com o xarope de Agave. Remover do lume e juntar a água de rosas.

4. Deitar a manteiga sobre a aveia e envolver bem. Juntar a clara de ovo e mexer com as mãos. Espalhar sobre um tabuleiro com papel vegetal e estender numa camada fina.

5. Levar ao forno cerca de 25 a 30 minutos, mexendo ocasionalmente. Ao final do tempo, retirar e pressionar com uma espátula para que forme pedaços grandes quando arrefecido. Guardar num frasco hermético.







Being a mother and a father is possibly one of the hardest things in life. Raising a child is a difficult, complex task, full of doubt and no certainties.

The theories, those we have them firmly in our minds. We know what to do to teach them to sleep. Later we know exactly what strategy to apply at the time of a tantrum, at bath time and meal time.

Cartoon, only those that we approve - preferably without any violence - and very selected and quite rationed toys. After all, our children have to learn to appreciate the things they have and that life provides.

But the reality is so very different. Only those who have children, only those who passed through each stage of what educating a child implies, understand this text.

It's hard, so ungrateful and even unfair when at certain times we fail to recognize ourselves when we become that angry mother, furious, with the head in one thousand pieces because, let's face it, who can win a battle with a simple 3 year old? And when the frustration of seeing no avail reminds us, day after day, tantrum after tantrum, reflects in those who are closer to us, that most help us, those whom we should not be angry to leaves us with a feeling of an overwhelming guilt.

Yes, it's hard. It is ungrateful and unjust at sometimes. In the end we do the best we can. For better or worse, we do what we believe is better, what our instinct tells us to. Sometimes - often - We wonder whether it is correct.

But then, right then and there, somewhere between the bat, the tantrum and dinner we have a glimpse of what we fight for every day. A tender and pure caress, free of any intent or prejudice. And that is where we will seek strength, we smile and think ... yes, it's hard, it is unfair and sometimes ungrateful, but this act is mine, is for what I battle every day, is this bit of it that makes me know that not everything I do is wrong.

{ Rose Petal Granola with chocolate and almonds Recipe }

Ingredients

  •  ½ cups rolled oats
  • 1 cups almonds chopped
  • ½ tsp sea salt
  • ⅔ cup dark chocolate nibs
  • 3 tbsp. dried rose petals
  • ½ cup unsalted butter
  • ½ cup Agave syrup
  • 1 tsp rose water
  • 1 egg white

Method


1.Preheat oven to 150º.

2. Add the oatmeal with almonds, salt, chocolate and rose petals.

3. In a saucepan, melt the butter and syrup. Remove from heat and add the rose water.

4. Pour the butter over the oats and mix well. Add the egg white and mix with your hands. Spread on a baking sheet with parchment paper in a thin layer.

5. Bake about 25-30 minutes, stirring occasionally. At the end of time, remove and press with a spatula so that it forms large chuncks when cooled. Store in airtight jar.





13 comentários:

  1. Soa delicioso :)
    Mas… Onde se compram as pétalas e a água de rosas comestíveis?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E é mesmo deliciosa :)
      Eu comprei num supermercado no Algarve chamado Apolónia, mas estou certa que por exemplo no Corte Inglês haverá com certeza. Experimenta :)
      Beijinhos

      Eliminar
    2. Ah, boa! Não me lembrei do ECI, mas deve ter, sim. Vou procurar ;)
      Obrigada!

      Eliminar
  2. Olá Su. Há imenso tempo que sigo o seu blog, bem antes de ter criado o meu.
    Educar é "uma arte", eu sou mãe de duas meninas, a mais pequena tem 2 aninhos e há dias difíceis.....e não sei se é vantagem ou desvantagem mas sou Educadora de Infância com especialização em Educação para a 1ª infância......, a fase que os nossos pequeninos estão a passar.
    Cada criança é um mundo e temos que tentar descobri-lo....
    Parabéns pelas tuas fotos, são fantásticas, simplesmente adoro!!!!!.....as receitas proporcionais à qualidade da imagem que nos passa, por isso o Suvelle Cuisine é um "grande" blog.
    Deixo uma pergunta, onde posso adquirir as pétalas de rosa???.....apesar de morar numa cidade nunca vi há venda mas vou frequentemente a Lisboa e vivo ao lado de Badajoz....será que encontro????
    Gostaria muito de reproduzir a sua receita.
    Tudo de bom e felicidades.
    Beijinho
    Nel
    http://www.anelnacozinhadasmaravilhas.blogspot.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nel, muito obrigada pelas palavras simpáticas.
      Tal como disse à Esquilinho, julgo que devem encontrar-se à venda no Corte Inglês, e deduzo que em lojas gourmets também.
      Beijinhos e boa sorte.

      Eliminar
  3. bom aspeto tem :) adoro granola caseira

    ResponderEliminar
  4. Ainda hoje pensei isso mesmo, mas depois ele manda-me beijinhos, dá-me abraços ou puxa-me a face para ficar frente a frente com e dá-me 'aquele' sorriso... <3
    O que posso usar para substituir a manteiga e o ovo?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Raquel, a manteiga pode sempre ser substituída por um creme vegetal - algo que até faço regularmente - uma Alpro Soya por exemplo.
      Quanto ao ovo não é obrigatório, está lá apenas para unir mais de forma a obter-se aqueles pedaços maiores. Mas pode fazer sem ele.
      Depois conte como correu :)

      Eliminar
    2. Lembrei-me que também pode substituir por óleo de coco (biológico) :)

      Eliminar
  5. Olá Su!
    Sou daqueles que não compreendem este texto, no bom sentido, claro. Nunca tive o privilégio de educar um filho, mas tenho sobrinhos cujo crescimento acompanhei desde que nasceram. De um certo ponto de vista também contribui para a educação deles, apesar de não ser a mesma coisa. Mas consigo compreender as palavras que escreves... ainda assim, acho que aquele sorriso, aquele abraço apertado ao fim do dia, aquela corrida quando saem da escola, aquele "mãe gosto de ti"... acho que deve compensar todo o esforço, todo o desgaste, que físico, quer mental
    Quanto à tua granola, está sublime. Nunca fiz granola, tenho visto imensas e todas elas muito sugestivas e com bom aspecto, mas com pétalas de rosa é a primeira que vejo e olha, pare-me ser deliciosa.
    Nem vou falar das tuas imagens, para não me alongar mais, pois já sabes o que penso. ;)
    Um grande beijinho.

    ResponderEliminar
  6. Ainda não sou mãe e consigo entender tão bem o que aqui escreveu. Idealizo muita coisa que certamente não conseguirei cumprir em determinados momentos.
    Uma receita a experimentar, sem dúvida. :)

    ResponderEliminar
  7. Não te desesperes doce Su, pois é mesmo como dizes, a tarefa de ser pai ou mãe é árdua, injusta e ingrata. Não há fórmula certa ou infalível, mas no fim, o que conta são os laços afectivos e esses pequenos gestos de que falas, são os que no fim marcam a diferença.
    Se houvesse um casal de pais perfeitos no mundo, já todos o seriamos, pois já lhes teríamos seguido as pegadas, mas secalhar a emoção e espontaneidade não seriam tão marcantes.
    Há uma expressão britânica que adoro: "blood is thicker than water" e no fim, isso é que conta e se lermos bem nas entrelinhas desta expressão, acho que está lá toda a essência dos laços afectivos filiais e paternais e esses são os que prevaleceram sempre.
    Quanto à tua granola, sabia que a adoraria desde que a publicaste no instagram e agora confirma-se. Adoro mesmo!!
    Hã e tens uma colher linda, linda :)))).
    Um grande beijinho linda e doce Su,
    Lia

    ResponderEliminar
  8. Su, não sou mãe mas sinto que sim, que deva ser bastante difícil saber educar, as dúvidas e o querer fazer o melhor por eles, sabendo trasmitir os nossos valores, mas acho que de uma forma ou de outra se há essa preocupação é porque há educação e fazes o teu melhor, e acima de tudo há amor.
    E essa granola, fabulosa, adoro as fotos, lindas. Beijinho.

    ResponderEliminar