Pão de Espelta de nozes e figos... e a Paixão

{Fig and walnut spelt bread... and the Passion}

Sou uma pessoa de rotinas e segurança. Não sou aventureira, não gosto do desconhecido e uma das frases que mais me deixa nervosa é a célebre e comum “tenho um desafio para ti”.
*
I am a person devoted to routines and security. I’m not the adventurous type, I don’t appreciate the unknown and one of the phrases that makes me most nervous is the famous and common "I have a challenge for you."

SpeltBread_col1 SpeltBread_small_001

Não, o que eu gosto é de planeamento, de saber o que me espera e com o que contar. Do conforto da minha rotina, do café todas as manhãs às nove em ponto, da birra das minhas filhas sempre que as tiro da banheira, do conforto daqueles sapatos que nunca me desiludem. 

Mas afirmar algo assim é, nos dias que correm, visto como uma fraqueza. No mundo de competição em que vivemos há que encarar desafios e sair da nossa área de conforto. Deixar de lado as rotinas que tão bem nos aconchegam a criança que há em nós, para enfrentarmos aquilo que se releva assustador de forma a trazer de cima o adulto invencível e bem sucedido – aquele que nem nós reconhecemos. Já não basta sermos nós próprios, temos de ser génios e heróis. E temos, claro, de ascender numa pirâmide em que o topo é de poucos e para poucos. 
*
No, what I do like is planning, to know what awaits me and what I can rely on. I like the comfort from my routine, I like my coffee every morning at nine o'clock sharp, I like the always certain tantrum of my daughters when I take them out of the bath tub, I like the comfort of those shoes that never fail me.

But to say something like this in these days is perceived as a weakness. In the world of competition in which we live one must face challenges and get out of the comfort zone. One must leave aside the routines that cuddle the child inside to face what is frightening in order to bring up the invincible and successful adult - one that we don’t recognise. We can no longer just be ourselves, we have to be geniuses and heroes. And, of course, we must ascend a pyramid in which the top belongs to few and is for few.

SpeltBread_small_005 SpeltBread_col2 SpeltBread_small_004

Acontece que eu não concordo com isso. Não acredito que a competição tão venerada nos dias de hoje seja a chave do sucesso. 

Acredito antes que a paixão com que fazemos algo, sim, é a responsável por um outro nível de sucesso muito melhor. Aquele sucesso que nos torna felizes interiormente. O sucesso que alguém sente quando termina uma maratona, mesmo que não seja o primeiro a chegar à meta. O sucesso que alguém sente ao manter um blog mesmo que seja apenas conhecido por um punhado de pessoas. O sucesso de fazer algo que se adora e conseguir ir mais longe não porque se compete com outrem, mas porque simplesmente é natural que assim seja.
*
I happen to disagree with that. I do not think the competition so venerated these days is the key to success.

Instead I think that if you do something with passion that alone is responsible for another much better level of success. The kind of success that makes us happy inside. The success that someone feels when he/she finishes a marathon, even if it’s not the first one to reach the line. The success that one feels while maintaining a blog even if it is only known by a handful of people. The success of doing something you love and be able to go further not because it competes with others, but because it is only natural that it be so.


SpeltBread_small_012 SpeltBread_small_010 SpeltBread_small_011
Acredito que quando fazemos algo por paixão – seja o que for – o poder que temos para fazer mais e melhor é, esse sim, imbatível. E acredito que é essa paixão que gera dinamismo, que gera ideias, que gera uma motivação só compreendida por alguns. 

E eu acredito na minha paixão. E acredito nas minhas rotinas. No fundo, acredito em mim, em nós. 

I believe that when we do something out of passion - whatever that may be - the power we have to do better is, that alone, unbeatable. And I believe it is this passion that generates dynamism and ideas, it is what creates a motivation only understood by few.

And I believe in my passion. I believe in my routines. Deep down, I believe in me, I believe in us.

{Film Photography by Nuno Ribeiro developed and scanned at Carmencita Film Lab




Ingredientes

  • 300 ml de água morna
  • 7 gr de fermento seco
  • 60 ml mel
  • 350 gr de farinha de espelta branca
  • 200 gr de farinha de espelta integral
  • 1 1/2 c. chá de canela moída
  • 1 pitada de sal
  • 150 gr de figos secos, picados grosseiramente
  • 100 gr de nozes, picadas  grosseiramente

Preparação

1. Pré-aquecer o forno a 200ºC. Untar uma forma de pão e reservar. 

2.  Juntar o fermento à água morna com o mel e deixar que fermente durante uns minutos.

3.  Numa taça juntar as farinhas, a canela e o sal. Juntar o fermento e amassar até obter uma massa consistente. Formar uma bola, colocar na taça e tapar com um pano. Deixar levedar por cerca de 1 hora.

4. Uma vez dobrado o volume da massa, acrescentar as nozes e os figos e voltar a amassar. Formar uma bola e colocar na forma. Dar cortes longos e levar ao forno cerca de 10 minutos.

5. Baixar o forno para 180ºC e deixar por mais cerca de 30 a 40 minutos.

Receita adaptada daqui



{ see this story on steller }


{ Fig and walnut spelt bread Recipe }




Ingredients
  • 300ml warm water
  • 7g sachet dry yeast
  • 60 ml honey
  • 350 grams white spelt flour
  • 200 grams wholemeal spelt flour
  • 1 1/2 tsp ground cinnamon
  • pinch of salt
  • 150 grams dried figs, roughly chopped
  • 100 grams walnuts, roughly chopped


Method


1. Preheat your oven to 200º C and grease a loaf tin and set aside.

2. Combine the warm water with the yeast and honey and set aside for a couple of mins until the mixture is bubbling and frothing.

3. In a large bowl combine the flours, cinnamon and salt. Add the the yeast mixture and mix until you have a sticky, yet pliable dough. Place the dough back in the bowl, cover with a kitchen towel and allow to rise for approx. 1 hour.

4. Once doubled in size, add the figs and walnuts and proceed to knead the dough. Place the dough in the baking tin and cook in the oven for 10 mins. Reduce the temperature to 180º C and cook for a further 30-40 mins until golden.

Recipe adapted from here



17 comentários:

  1. Olá Su!
    Que lindas são as tuas palavras e não posso estar mais de acordo com elas. O verdadeiro sucesso é aquele que atingimos com os nossos objectivos pessoais, com aquilo que fazemos por gosto, por paixão. Seja uma simples refeição que preparamos para a família, ou o simples facto de decidirmos começar a caminhar diariamente e aos poucos irmos conquistando alguns metros de corrida. Mas com gosto e determinação.
    Amei este pão, vai já para a minha lista, o aspecto é delicioso.
    Aah e o novo visual do blog está lindo e perfeito. Adoro. :)
    Um beijinho.

    ResponderEliminar
  2. Concordo contigo: não preciso de ser a melhor nem a mais rica nem a mais popular. Só preciso de ser eu, de ser feliz a fazer aquilo que mais gosto (nem que isso seja apenas nos tempos livres!), com calma e sem competições. Anda tudo doida com a ganância, a competitividade, a sofreguidão de ter casas melhores, carros melhores, telemóveis melhores. Isso para mim não me serve de nada pois é uma felicidade efémera e vazia. Eu quero ser feliz de forma calma e sustentada, sem stresses e sem competições, com tempo para parar e reflectir sobre as decisões que tenho para tomar. É isso que eu quero. E gostava que mais pessoas também o quisessem. Se calhar tinhamos uma sociedade muito melhor :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ondina querida, eu acredito que cada vez mais as pessoas começam a perceber que a competição (vulga e apreciada característica na cultura americana... que não é a nossa de todo) é algo que tem de existir mas com peso e medida, não como algo supremo.
      Acredito e espero que cada vez mais se ensine aos nossos filhos que há coisas mais importantes que vencer, que ser o melhor, que ser o que mais dinheiro ou melhor carro tem.
      Grande beijinho

      Eliminar
  3. nao podia cncordar mais contigo :) a paixão é sem dúvida o que nos move e sem ela as coisas não são simplesmente o que são, sem qualquer magia. Gosto mesmo muito da forma como estas a desenvolver o teu blogue e como estás a tornar as tuas imagens inconfundíveis. posso ver muitas semelhante (ou a tentativa de) mas sei sempre quais são as tuas (as outras são sempre a tentativa de querer ser a Suvelle)
    Devemos mesmo fazer aquilo que gostamos e o que nos faz feliz! adorei a nova imagem, a receita e o texto que a acompanha :) um beijinho grande**

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Minha linda Naida! Agradeço imenso as tuas palavras e fico feliz de saber que o meu trabalho é reconhecido como meu, porque realmente sempre me esforcei por ter uma imagem minha. Mas isto é o que é e na verdade pouco podemos fazer para evitar as cópias a não ser tentar sermos sempre nós próprios e fazermos cada vez mais e melhor. É isso que eu tento.
      Grande beijinho :)

      Eliminar
  4. Mal li o teu post ontem escrevi um comentário, mas como sempre quando estou no telemovel nunca consigo que fiquem... Só te queria reforçar a ideia de que te acho única, original e autêntica. E que, sabes?!, nota-se tão bem quem tenta ser igual a ti!
    O teu blogue é das minhas maiores referências. És um modelo de beleza, de autenticidade, de luz e de harmonia. Continua... E mesmo que não queiras ser a melhor, naquilo que fazes, da forma como o fazes, és a melhor. Beijos!

    PS - tenho de experimentar esse pão!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mª João, o que te responder? Só um ENORME obrigada, porque saber que tenho pessoas assim que me acompannham é mais do que motivante.
      Milhões de beijos e uma vez mais obrigad pelas tuas palavras.

      Eliminar
  5. Querida Su,
    Ia escrever tudo o que a Clavel escreveu e por isso, já não escrevo e simplesmente subscrevo as palavras dela e faço delas as minhas palavras.
    És única mesmo e linda, linda, por dentro e por fora e quanto a isso, podem competir à vontade, pois nunca te conseguirão igualar!!
    AMO de paixão o novo look do blogue. A sério. Amo muito mesmo e este pão, sendo eu uma pãozeira, nem preciso de dizer o quanto é à minha medida!
    Um grande beijinho doce, linda, única e genuína Su,
    Lia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Minha querida e doce Lia, muito obrigada mesmo por as tuas palavras, fico quase sem palavras.
      Quanto ao look do blog estava na hora de inovar ;)

      Eliminar
  6. Susana, o seu blog é uma verdadeira inspiração e um dos meus livros de receitas virtuais de referência. Este pão é decididamente mais um a experimentar. O de pesto era simplesmente divinal. Sempre acompanhado de palavras que enchem a alma. Não costumo comentar mas desta vez não resisti à receita e a mais uma mensagem tão bonita. Parabéns

    ResponderEliminar
  7. Amor, criatividade e competividade. Essas três palavras que nem sempre resultam entre si mas que quase sempre andam juntas. O amor para mim é essencial em tudo na vida, desde o simples carinho a um filho à maneira como se unta a forma de bolo, tento aplicar em tudo na minha vida e até agora não me tenho arrependido. O blog para mim apesar de ser um simples hobbie tem sido o espelho disso mesmo, e sinto isso do teu desde o dia em que o vi.
    A criatividade, igualada à humildade são das características que valorizo mais numa pessoa, se calhar dou demasiada importância à criatividade, mas vivo dela há muitos anos e acho que a certas alturas devia ser patenteada ou registada algures como só tua, mas sei que isso é impossível. Por isso, aí cabe à consciência de cada um reflectir se é ou não uma pessoa criativa, porque as cópias... Essas vão sempre existir, infelizmente.
    Por fim, a competividade que anda quase sempre de mão dadas com a criatividade, nos trabalhos, na maneira de vestir, na casa onde vives e até mesmo nos blogues, que cega de tal maneira as pessoas que as faz quase dar um rim por um like... É triste, mas é uma realidade que temos de enfrentar! Pior que isso só mesmo a inveja, mas deixemos isso para outro dia que é outras das coisas na vida que não suporto.
    O teu blog é único, é teu e sempre será... aos teus olhos e de quem o vê como teu... O resto são "cantigas" como diz minha mãe. Continua o bom trabalho/prazer como tens vindo a fazer ao longo destes anos que as "cantigas" passam de moda rapidamente o amor é eterno. Um beijo

    ResponderEliminar
  8. Concordo plenamente consigo, Susana. Parece que, finalmente, alguém colocou por palavras tudo o que penso sobre este assunto. Obrigada por ser como é: tão diferente e tão inspiradora.

    ResponderEliminar
  9. This looks like such a wonderful recipe! I think anything with figs in it is great and I love that the spelt makes it healthier than regular wheat bread. Love your little place on the internet: it exudes a beautiful aesthetic and calmness.

    ResponderEliminar
  10. Olá Su, nem imagina como este post está tão atual na minha vida no momento, e concordo tanto consigo. Vou fazer o pão, sem dúvida! Um grande beijino e não pare por favor!

    ResponderEliminar