Risotto de couve-flor assada com salva e brie... e um longo percurso

{Roasted cauliflower risotto with sage and brie... and a long way}

No ínicio as minhas sopas levavam sempre aveia. O meu pão quase sempre saía maçudo e talvez abusasse um pouco em determinados ingredientes que não agradavam muito ao meu marido. 
Tentativas atrás de tentativas, procurava a cada nova refeição surpreendê-lo e deixá-lo rendido aos meus cozinhados. 
Não foi tarefa fácil, não porque ele seja esquisito, mas porque ambos temos gostos bastante diferentes no que se refere à comida. E eu tenho uma certa tendência para cozinhar o que gosto.
*
In the beginning of times my soups were always packed with oats. My bread almost always baked to be very consistent and perhaps I used to abuse a bit in certain ingredients that did not please much to my husband.
Attempts ran one over another, and I tried at every one a new meal to surprise him and leave him surrendered to my cooking.
It wasn't very easy, not because he is picky, but because we both have quite different tastes when it comes to food. And I have a tendency to cook what I like.

CauliflowerBrieRisotto_col2 CauliflowerBrieRisotto_04 CauliflowerBrieRisotto_02


Ele gosta de texturas bem crocantes e estaladiças, eu gosto de consistências moles e cremosas. Eu adoro beterraba, cebola, alho, ele prefere os sabores mais neutros. Ele não gosta de aveia na sopa e prefere o pão fofo e com crosta forte.
Ao longo dos anos fui tentando aprender mais e mais sobre o gosto dele nos alimentos. Quais os sabores que mais gosta, quais as texturas que realmente elevam um prato segundo as suas preferências, o que realmente o faz querer repetir. E ao longo dos anos foram várias as tentativas e erros feitos. 
Também posso afirmar que, neste percurso a dois, também ele aprendeu a gostar de coisas que não gostava e a reconhecer qualidade em certos ingredientes que antes vedava por completo - a aveia hoje é algo que aprecia muitíssimo... ainda que não na sopa. 
*
He loves very crispy and crunchy textures, I like soft and creamy consistency. I love beets, onions, garlic, he prefers the more neutral flavors. He doesn't like oats added in soup and prefers soft bread with a hard crust.
Over the years I've been trying to learn more and more about his taste in food. What are the flavors he loves, what are the textures that really elevate a dish according to his preferences, what is it that really makes him want to repeat. And over the years there were several made trials and errors.
I can also say that in this path traced by both of us, he also learned to like things he didn't before and to recognize quality in certain ingredients that he just forbade altogether - oats is something he now appreciates very much ... although not in the soup.
CauliflowerBrieRisotto_06 CauliflowerBrieRisotto_03 CauliflowerBrieRisotto_11 CauliflowerBrieRisotto_07

E algures durante este percurso dei-lhe a provar o meu risotto. Foi talvez a primeira vez que vi os seus olhos arregalarem-se um pouco mais num sinal claro de que o meu risotto estava mais do que aprovado. 
Desde então este tornou-se um prato que lhe faço com frequência e com uma certa vaidade de saber que nenhum mais se compara ao meu. Afinal uma mulher tem o direito a ter um prato assim, uma espécie de assinatura sua que o seu marido reconhece como sendo o melhor de todos. 
*
And sometime during this course I gave him my risotto to try. It was perhaps the first time I saw his eyes widen a little in a clear sign that my risotto was more than approved.
Since then this has become a dish that I do often and with a certain vanity knowing there isn't any other that can compare to mine. Afterall a woman has the right to have a dish thus, a kind of signature that her husband recognizes as the best of all.

CauliflowerBrieRisotto_col1 CauliflowerBrieRisotto_12 CauliflowerBrieRisotto_14


Sinto-me verdadeiramente orgulhosa do meu risotto. E sinto-me orgulhosa que o meu marido o prefira a qualquer outro, seja a versão que for.  
*

I feel truly proud of my risotto. And I am proud that my husband prefers ir to any other, whatever the version I make.

{Film Photography by Nuno Ribeiro developed and scanned at Carmencita Film Lab





Ingredientes

Para a couve-flor
  • 1 couve-flor média
  • 1 fio de azeite
  • 1 c. chá de cominhos em pó
  • 1 c. chá de caril em pó
  • 1 punhado de folhas de salva
  • 1/2 chávena de amêndoa laminada
  • Sal
Para o risotto
  • 1 chalota
  • 1 fio de azeite
  • 1 chávena de arroz arborio
  • 2 1/2 chávenas de caldo de legumes (de preferência caseiro)
  • 1 c. sopa de manteiga 
  • 1/2 chávena de queijo da ilha ralado
  • Queijo brie em pedaços a gosto 
  • Sal
  • Pimenta

Preparação

1. Pré-aquecer o forno a 220ºC.

2. Num tabuleiro de forno colocar a couve-flor dividida em raminhos e regar com o azeite. Espalhar os cominhos, o caril e o sal e envolver bem. Levar ao forno cerca de 15 minutos. Juntar as folhas da salva e as amêndoas e deixar por mais cerca de 6 minutos até que fiquem crocantes e douradas.

3.  Colocar o caldo num tachinho e deixar levantar fervura.

4. Numa panela colocar o fio de azeite e a chalota e deixar amolecer bem. Acrescentar o arroz e mexer deixando o arroz começar a alourar um pouco. 

5. Juntar o caldo, 1 concha de cada vez, mexendo frequentemente e deixar cozinhar cerca de 18 a 20 minutos ou até que o caldo seja todo absorvido pelo arroz. Retificar os temperos.

6. Juntar a manteiga e o queijo e envolver para que derretam. Servir o risotto com a couve-flor assada e pedaços de brie.





{ Roasted cauliflower risotto with sage and brieRecipe }




Ingredients

For the cauliflower
  • 1 medium cauliflower
  • 1 drizzle olive oil
  • 1 c. Cumin tea powder
  • 1 c. curry powder tea
  • 1 handful of sage leaves
  • 1/2 cup sliced almonds
  • Salt
For the risotto
  • 1 shallot
  • 1 drizzle olive oil
  • 1 cup arborio rice
  • 2 1/2 cups of vegetable broth (preferably homemade)
  • 1 tbspoon butter
  • 1/2 cup grated parmesan
  • Brie cheese cut into pieces
  • Salt
  • peper

Method


1Preheat the oven to 220ºC.

2. In a baking tray place the cauliflower divided into sprigs and sprinkle with olive oil. Spread cumin, curry and salt and mix well. Bake about 15 minutes. Add the sage leaves and almonds and leave on for about 6 minutes until crisp and golden.

3. Place the broth in a pot and bring to a simmer.

4. In a pan put the olive oil and the shallot and let it soften well. Add the rice and stir allowing the rice to brown a little.

5. Add the broth, one cup at a time, stirring frequently and cook about 18 to 20 minutes or until the broth is all absorbed by the rice. Rectify the seasoning.

6. Add the butter and cheese and let it melt. Serve the risotto with roasted cauliflower and pieces of brie.



8 comentários:

  1. uma excelente sugestão!
    Beijinhos,
    http://sudelicia.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  2. A vida a dois é assim mesmo, uma adaptação constante :)
    Mas esse risottlo tem um aspecto fabuloso, é impossível alguém n gostar, muitos parabéns!
    beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Nunca fui muito amiga de couve flor, até ter um blog de culinária e começar a provar outros ingredientes, até então meio proibidos pela minha boca. A minha mãe sempre que fazia (faz), peixe cozido, acompanha com couve flor. E eu sempre a deixava na travessa!! Aquela textura humedecida enjoava-me.
    Um dia provei sopa de couve flor e adorei. Desde então a couve flor faz parte das minhas sopas, no entanto, inteirinha ainda me custa!
    Mas... se a puserem no forno e ficar crocante... ai! Tenho a certeza que vou gostar.
    Por isso o risotto do teu amor também me conquistou :-)
    Beijinho, suave Su
    C

    ResponderEliminar
  4. Bem sei a dificuldade que é adaptar o menu do dia a dois gostos tão diferentes, tenho o mesmo dilema cá em casa mas diria até ser pior, é que o meu namorado é chef profissional e são sem dúvida os clientes mais díficeis de agradar :D Já tomei nota da receita, adoro pratos de risotto! Beijinho Andreia

    ResponderEliminar
  5. Querida Su,
    Eu adoro couve flor, embora seja um legume mal amado, eu acho-o bastante interessante, quer em termos de sabor, quer em termos de textura e amei a forma graciosa como o integraste neste teu risotto que, se para o teu marido é o melhor do mundo, é porque É mesmo o melhor do mundo!!
    Um beijinho minha doce Su,
    Lia

    ResponderEliminar
  6. Um risotto assim é difícil alguém não gostar, está perfeito, e esses sabores vejo neles o teu gosto. E que bom que ele gosta :) Um beijinho.

    ResponderEliminar
  7. Risotto de couve flor é capaz de ser o prato preferido do meu filho. Sou louca, fanática, obcecada - e uma grande snob quanto á sua confecção - por risottos. O meu signature dish é também um risotto, um risotto de potas com caldo de polvo que modéstia á parte é de chorar - para quem gosta de potas, claro, que é coisa que não é unânime com o seu aroma e sabor forte. Aveia na sopa nunca experimentei, agora fiquei com o bichinho e hei-de fazer. O pão cá de casa foi uma aprendizagem longa, e confesso que feito por mim só pão de soda, todos os outros é o cara metade quem faz, o padeiro de serviço. Como somos três e com gostos muito distintos e especificos relativamente aos pães que gostamos, ele vê-se um bocadinho grego a fazer quatro tipos de pão diferentes - que o meu filho tem de ter baguettes para o pequeno almoço e bijoux para levar para o lanche da tarde... mas lá está, é neste aprendizado que que se cresce como pessoa, como ser humano, como familia, eu acho que é uma forma tão bonita de expressar e de difundir o amor que se tem, o acto de confeccionar e experimentar, partilhar com quem se ama sabores e texturas, para mim uma cozinha cheia de pais, mães e filhos é uma cozinha cheia de amor, é um sinal de familia feliz! Belo risotto o teu, faço o meu de forma distinta mas vou certamente experimentar esta forma, relativamente á couve flor, acho que deve mesmo ficar muito boa!!
    http://bloglairdutemps.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  8. Parece delicioso! Eu tenho que tentar a receita em breve.
    Um beijinho.

    http://www.pingletonhats.com/pt/

    ResponderEliminar