Pão de soda de espelta (e o meu buttermilk)... e o regressar a casa

{Spelt Soda Bread (and my buttermilk)... and returning home}

Acordar ao som de uma porta a fechar lá fora ou da água a correr no duche é algo que hoje em dia me parece um sonho só realizável ocasionalmente.
Abrir os olhos naturalmente ao invés de acordar ante os lamúrios pelo leitinho ou com as perguntas já sempre presentes ao fim de semana... "já é de dia? ... já é hora de acordar mãeeeeee?"
Ah sim, um verdadeiro sonho acordar um dia que seja ao lado dele, só os dois.     
*
Waking up to the sound of a closing door outside or running water in the shower is something that today seems a dream feasible only on occasion.
To open my eyes naturally instead of waking up before whinings for milk  or questions nowadays always present at weekends ... "is it day already? ... Is it time to wake up mommyyyy?"
Ah yes, truly a dream to wake up for only one day next to him, just the two of us.

SodaBread_col1 SodaBread_01 SodaBread_col2


Um fim de semana que seja, ausentes de tudo e todos é algo pelo qual ambos ansiamos frequentemente e fazêmo-lo porque sabemos o quanto isso significa para nós enquanto casal mas também enquanto pais.
O desligar um pouco de todas as obrigações que temos no dia a dia, a sensação de liberdade nas pequenas coisas de um dia por nossa conta, o sermos apenas nós enquanto casal, namorar e trocar mimos sem a interrupção de pequenas vozinhas que pedem mimo elas também.    
*
For only a weekend, away from everything and everyone is something which both of us often yearn and we do it because we know how much it means to us as a couple but also as parents.
To turn off a little from all the obligations we have in everyday life, the feeling of freedom in the little things in a day on our own, to be just us as a couple, dating and exchanging caresses without the interruption of small little voices asking the same for them.

SodaBread_col3 SodaBread_18 SodaBread_06 SodaBread_22


Mas o melhor de tudo? O melhor de um fim de semana longe de casa?
Regressar a casa. 

Voltar ao nosso lar, sermos recebidos de braços abertos e risos de extase, sentirmos que é aqui que pertencemos verdadeiramente.
E celebrar, claro, à mesa como não podia deixar de ser. Com um lanche reconfortante, um pão acabado de sair de forno, crocante e quentinho que nos enche a alma e nos faz sentir verdadeiramente em casa.   
*
But the best of it all? The best of a weekend away from home?
To return home.

Back to our home, to be welcomed with open arms and laughter of ecstasy, to feel that this is where we truly belong.
And to celebrate, of course, at the table as it could not be otherwise. With a comforting snack, a freshly baked bread out of the oven, crispy and warm that fills our souls and makes us feel truly at home.

SodaBread_08 SodaBread_15 SodaBread_20 SodaBread_03 SodaBread_12

E este tornou-se um pão de eleição na nossa familía. Pela rapidez com que é feito, pelo sabor absolutamente delicioso, pela contraste da textura crocante exterior e consistência do interior.
Porque poucas coisas há que nos façam tão felizes como um fim de semana a dois ou o barrar da manteiga numa fatia de pão quente e partilhá-la com os nossos filhos.  
*
And this bread has become a favorite in our family. Because of how quickly it is done, the absolutely delicious flavor, because of the contrast of the outer crunchy texture against the body of the interior.
Because there are few things that make us as happy as a weekend between just the two of us or to spread butter on a slice of warm bread and share it with our children.

SodaBread_col4 SodaBread_09



{Film Photography by 
Nuno Ribeiro developed and scanned at Carmencita Film Lab


Ingredientes

  • 1 3/4 chávena de farinha de espelta integral
  • 1 3/4 chávena de farinha de espelta branca
  • 1 c. chá de sal
  • 1 c. chá de bicarbonato de sódio
  • 2 c. sopa de manteiga
  • 1 ovo
  • 1 c. sopa de flocos de aveia
Para o buttermilk

  • 3/4 chávena de queijo Quark
  • 1/4 chávena de leite
Preparação

1. Pré-aquecer o forno a 215ºC.

2. Numa taça grande juntar as farinhas, o sal e o bicarbonato de sódio. Juntar a manteiga fria e desfazer com os dedos, apertando contra a farinha de forma a incorporar.

3. Numa taça à parte juntar o quark e o leite e misturar bem. Juntar o ovo e bater.

4. Fazer um buraco no centro da farinha e juntar a mistura, reservando apenas um pouco do buttermilk. Com a mão incorporar a farinha no liquido de forma rápida de forma a não trabalhar demasiado a massa. A massa deverá ficar mole mas não demasiado liquida.

5. Colocar numa superfície enfarinhada e formar um disco redondo com cerca de 4 cm. Fazer uma cruz com uma faca afiada e afastar ligeiramente a zona cortada. Pincelar com o restante buttermilk e polvilhar com os flocos de aveia.

6. Levar ao forno por cerca de 15 minutos e depois reduzir para 200º. Deixar por mais 30 minutos ou até o pão fazer um som ôco quando batido por baixo





{ Spelt Soda Bread (and my buttermilk) Recipe }




Ingredients
  • 1 3/4 cup of whole spelt flour
  • 1 3/4 cup of white spelt flour
  • 1 tspoon salt
  • 1 tspon baking soda 
  • 2 tbspoon butter
  • 1 egg
  • 1 tbspoon oats

For the buttermilk



  • 3/4 cup Quark cheese
  • 1/4 milk

Method


1Preheat oven to 215 ° C.

2. In a large bowl combine the flour, salt and baking soda. Add the cold butter and break with fingers, pressing against the flour to incorporate.

3. In a bowl mix the quark and milk. Add the egg and beat.

4. Make a hole in the center of the flour and add the mixture, reserving just a bit of buttermilk. With one  hand incorporate the flour in liquid quickly so as not to overwork the dough. The dough should be soft but not too liquid.

5. Place on a floured board and form a round disk with about 4 cm. Make a cross with a sharp knife and slightly pull apart. Brush with the remaining buttermilk and sprinkle with the oats.

6. Bake for about 15 minutes, then reduce to 200ºC. Leave for 30 minutes or until the bread makes a hollow sound when tapped.



22 comentários:

  1. Adoro fazer pão, este é simples e tem um aspecto super delicioso.
    Apetece mesmo pegar e comer(ai se fosse possivel..)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ai São e se caímos no 'erro' de o abrir e barrar manteiga ainda quente... não há quem nos acuda!! :D

      Eliminar
  2. Estas pequenas escapadelas são tão importantes como necessárias. Vimos com baterias recarregadas, e acredita, não são só os pais que precisam!
    Também gosto muito de pães rápidos como este, comidos ao sairem do forno são do melhor!
    Fotos lindas, como sempre :D
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem mais Sara, baterias completamente recarregadas e com muito mais paciência!
      Beijinhos e obrigada!

      Eliminar
  3. Fiquei a imaginar o momento do regresso com um sorriso nos lábios... :)
    Deu para sentir.
    Que lindo Su, adorei o pão, a composição as fotos e o texto, como já nos habituaste ♥
    Bjinhoos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que bom que sentiste, era mesmo essa a mensagem que queria passar.
      Obrigada pelas tuas palavras sempre tão carinhosas :)

      Eliminar
  4. As receitas já por si são sempre muito interessantes e úteis mas estas lindas composições fotográficas é o que me faz sempre voltar quando publicas um post novo :) Que lindo trabalho Susana. Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada, é verdadeiramente gratificante ler palavras assim :)
      Grande beijinho

      Eliminar
  5. Sem dúvida que, por mais que viajemos, por mais longe que vamos, o regresso a nossa casa, ao nosso cantinho, o nosso porto de abrigo é sempre memorável e ainda para mais se, como no teu caso, tiveres uns bracinhos pequeninos, abertos à tua espera.
    Adorei este pão Su, simples, lindo e delicioso. Gosto muito de usar a farinha de espelta nas minhas receitas e cada vez uso-a mais em vez da de trigo. :)
    Um beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Célio, aqui em casa já nem sequer uso outra farinha. Acho a espelta muito versátil, adoro o sabor que confere a tudo e acredito que é bastante mais saudável dado o modo de cultivo.
      Beijinhos

      Eliminar
  6. O texto é lindo :)
    Imagino a felicidade dos pequenos ao ver os pais! Uma maravilha :)
    Claro que é bom passar tempo a dois, a namorar! Mas acredito que o regressar seja melhor ainda!
    E que lindo pão :)
    Adorei, imagino a perdição que seja comer ainda quente!!! Desaparece num instante :)
    Gostei muito da receita, bem como do buttermilk! Uso muito queijo quark!
    Vou guardar a receita, para fazer num lanche de fim-de-semana :)
    As fotos estão lindas!
    Um beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Joana. Recomendo mesmo que experimentes o pão com este 'meu' buttermilk. O pão é absolutamente delicioso e este buttermilk para mim foi das melhores substituições que fiz ;)

      Eliminar
  7. Ai, soda bread é tipo a minha maior perdição - eu costumo dizer que dentro de mim vive um viking barbudo, uma mamma italiana e um irlandês bezano que só sabe é comer pão e ouvir música celta - e o ÚNICO pão que eu faço, os outros deixo por conta do meu marido. Tenho várias variantes, porque adoro misturar sabores e aromas, e também tenho um buttermilk muito meu que me enche as medidas. Ora agora ler aqui um buttermilk com queijo quark deixou-me as papilas gustativas todas a saltitar e já estou cheia de vontade de experimentar, há-de estar para breve!!
    http://bloglairdutemps.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Experimenta sim Miranda, não te irás arrepender ;)
      Beijinhos

      Eliminar
  8. Minha doce Su,
    Como sempre, concordo tanto e a 100% com o que escreves e as sensações que descreves.
    Ir, como casal, é importante e como que um renovar do amor partilhado e voltar, para o lar, os filhotes, as lamúrias, o acordar sempre cedo ao fim de semana com essas vozinhas impacientes por começar o dia...
    É algo insubstituível e confesso, quando vou, nesses momentos ou escapadinhas a dois, não consigo aproveitar a 100?% pois essas vozinhas (que tantas vezes me dão nos nervos), me fazem tanta falta nesses momentos... Contradições da vida familiar e de uma mãe galinha assumidissima... eu sei...
    Pão de soda é dos pães que mais adoro e este teu está com um aspecto que me deixou a salivar!
    Um beijinho doce e linda Su e bom fim de semana, com 3 vozinhas a quererem acordar cedo, lol.
    Lia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lia, a verdade é que por muito que tentemos descontrair eles estão, e estarão para sempre, na nossa mente e nosso coração. Eu confesso que tudo o que vejo ou como... penso em como eles iriam adorar :) Faz parte de ser mãe, não é?
      Beijinho enorme!

      Eliminar
  9. Agora trabalho num lugar onde há muitas opções diferentes no que toca a pão temos 4 variedades de pão de espelta e é um dos mais vendidos, eu pensava que não ia gostar mas enganei-me é bastante saboroso :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aqui em casa não há nada agora que não seja de espelta e a verdade é que já não consigo voltar ao trigo comum.
      Beijinhos

      Eliminar
  10. Adoro tudo! Desde o pão, às fotografias.
    Ia precisamente comentar que adoro o grão que aparece nas fotografias, até que no fim vi que são fotografias analógicas. Ora como fã incondicional, que carrega uma analógica para todo o lado fiquei encantado <3
    Até já comecei a seguir no flickr :)

    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Nuno, pelas simpáticas palavras e pela visita.
      A fotografia analógica é realmente outra coisa não é? Tem uma textura e dimensão que o digital simplesmente não consegue reproduzir por mais filtros que se usem.
      Beijinhos

      Eliminar
  11. ai estas fotografias :) simplesmente perfeitas para acompanhar esta história e este delicioso pão.
    Cá em casa ainda não há filhos mas há um workaholic e, de vez em quando, partimos, nem que sejam meia dúzia de kms para "espairecer" e dar uma abanadela na rotina. E sabe tão bem voltar e com uma energia renovada :) beijinho*

    ResponderEliminar
  12. Ontem experimentei esta receita e estou neste momento a prova-la ao pequeno-almoço. Confesso que fiquei bastante surpreendida!! Substitui a espelta integral por centeio integral (porque não encontrei), mas ficou maravilhoso. Qd mexi a massa achei que já estava algo de errado mas qd vi o pão crescer no forno sorri;) parabéns pela receita e pelo blog que é maravilhoso!

    ResponderEliminar