SC_logo.png

O que são os Bioestimuladores de Colagénio (com estudos)

Aviso Legal - Este blog não é um blog médico, nem a autora possui qualquer formação na área e qualquer dúvida ou esclarecimento sobre tratamentos estéticos deverá ser sempre esclarecido com um Médico especializado.





Para quem não sabe, uma pequena parte do meu trabalho no Studio passa por fazer gestão de redes sociais e alguns dos meus clientes são, precisamente, médicos na área da medicina estética. Ora isso implica que faço constantemente pesquisa sobre os temas dessa área, nomeadamente os tratamentos em vogue na atualidade.


Um desses tratamentos é precisamente o de bioestimuladores de colagénio. E foi sobre esses que assisti a semana passada, a convite de uma marca, a uma apresentação de alguns médicos que explicaram um pouco melhor este tema.


Mas o que são afinal os bioestimuladores de colagénio e para que servem? Em baixo as respostas a algumas questões mais comuns (e não tão comuns) sobre um dos procedimentos estéticos mais procurado atualmente.


Nota - Não realizei qualquer procedimento, pelo que todas as informações aqui partilhadas são resultado de investigação e informação recolhida junto das marcas /laboratórios.



 

SEGUNDO AS MARCAS E LABORATORIOS


1- Quais são os principais ingredientes ativos?

Muitos preenchedores dérmicos populares são feitos com uma substância que ocorre naturalmente no corpo e possui propriedades únicas de retenção de humidade. Quando injetados, esses preenchimentos adicionam volume e suporte estrutural que suaviza e preenche a pele. Oferecem resultados imediatos sem um compromisso de longo prazo. Um exemplo destes preenchedores é o tão conhecido Ácido Hialurónico.


Já os preenchedores estimulantes de colagénio, também conhecidos como bioestimuladores, não fornecem apenas volume – eles ajudam o corpo a produzir novo colagénio. Estes produtos contêm ingredientes que estimulam o processo natural de produção de colagénio do corpo para restaurar a pele firme e jovem. Os resultados são graduais, mas mais duradouros do que os mencionados anteriormente.


Atualmente existem 3 bioestimuladores de colagénio:

  • O Ácido Polilático que é um potente produto biocompatível e reabsorvível, ou seja, é facilmente absorvido pelo organismo, sem malefícios, de forma segura. O procedimento suaviza os danos dos tecidos, causados pelo envelhecimento natural, corrigindo a espessura da pele e redefinindo o contorno facial. Também pode ser usado noutras áreas além do rosto, como pescoço, colo, braços, abdomen, pernas e glúteos.

  • A Hidroxiapatita de Cálcio, que além de um bioestimulador de colagénio injetável, pode ser usada como preenchedor. É indicado quando se deseja reposição de volume, efeito lifting e definição de contorno. Além da face e pescoço, pode ser realizado noutras áreas do corpo, como o colo, glúteos, mãos, braços e barriga.

  • A Policaprolactona que é um preenchedor e bioestimulador à base de água com microesferas de policaprolactona, que promove um preenchimento instantâneo e estimula gradualmente a produção de colagénio. O objetivo do tratamento é a melhoria e prevenção de flacidez e correção de linhas e sulcos. É possível, também, utilizá-lo para redefinir os contornos faciais, para um efeito natural de rejuvenescimento.


2- Em que áreas podem ser usados?

O tratamento pode ser usado nos locais onde habitualmente poderia colocar preenchedores: lábios, linhas de marioneta, maçãs do rosto, queixo.

A par disso, determinados bioestimuladores de colagénio, podem também ser usados para zonas do corpo como glúteos, coxas, mãos e decote e pescoço.


3- Quantas sessões são necessárias?

Um procedimento de preenchimento dérmico pode demorar cerca de 30 minutos. Consoante a zona e resultado pretendidos pode ser necessário mais do que uma sessão, nomeadamente quando aplicado no corpo.


4- Quando se vêm os resultados?

Os bioestimualdores de colagénio, ao contrário dos outros preenchedores dérmicos, são um tratamento gradual. Embora possa haver uma ligeira melhoria de volume logo após a injeção, os verdadeiros resultados poderão demorar semanas. O produto precisa de tempo para desencadear a produção de colagénio no corpo e restaurar a estrutura subjacente da pele. Este processo geralmente leva de quatro a 10 semanas, com resultados ótimos a ocorrerem após três meses.


5- Quanto tempo duram os resultados?

Dependendo do bioestimulador de colagénio e da área tratada, o resultado pode durar até dois anos. Os benefícios duradouros do crescimento de colagénio continuarão a ser vistos ao longo do tempo. À medida que o corpo absorve o produto, também produz o seu próprio novo colagénio para estimular naturalmente a pele, mesmo após a dissolução do preenchimento. Serão necessários retoques para manter os resultados indefinidamente.



 

ESTUDOS


Deixo ainda alguns estudos sobre os diferentes bioestimuladores de colagénio que já foram feitos até ao momento:


Policaprolactona: como um polímero conhecido e futurista se tornou um estimulador de colágeno inovador em estética

" A eficácia a longo prazo e a duração da ação, bem como a segurança do preenchimento de PCL (Policaprolactona), são confirmadas em estudos clínicos e pela prática clínica diária em todo o mundo ao longo de 10 anos. Os efeitos de restauração de volume, remodelação e rejuvenescimento proporcionam resultados naturais duradouros e melhoria da qualidade da pele. A taxa de eventos adversos é baixa e nenhum evento adverso inesperado foi relatado. (...)

Existem diferenças entre os estimuladores de colagénio no que se refere à sua eficácia, duração de ação e segurança, mas nenhum estudo clínico padronizado foi realizado até agora para compará-los. Como perspectiva adicional, espera-se que grandes ensaios clínicos investiguem o efeito do preenchimento de PCL em outras aplicações estéticas, incluindo tratamento combinado e aplicações corporais, sendo ambas as tendências atuais em estética, para otimizar o tratamento e permitir o rejuvenescimento global."

- Fonte


Segurança do ácido poli-L-láctico (New-Fill®) no tratamento da lipoatrofia facial: um grande estudo observacional entre pacientes HIV positivos

"Este estudo prospectivo e observacional examinou a segurança do ácido poli-L-láctico para a correção da lipoatrofia facial em pacientes com HIV. Este foi um grande estudo envolvendo mais de 4.000 cursos de tratamento, e 15.000 sessões de injeção de PLLA foram usadas para tratar pacientes com lipoatrofia facial grave. Um quarto dos pacientes necessitou de cinco sessões de tratamento e 82% das sessões exigiram o uso de dois frascos de PLLA. A eficácia subjetiva do tratamento foi relatada como “satisfeito” ou “muito satisfeito” pela maioria dos pacientes e médicos. O produto foi bem tolerado e a incidência de EAs imediatos e não imediatos foi aceitável. (...) Menos de 3% dos tratamentos com PLLA foram descontinuados devido a um evento adverso, apesar do grande número de injeções realizadas, e não foram descritos novos eventos adversos de PLLA. Demonstramos em condições reais que, nas mãos de médicos treinados, o tratamento da lipoatrofia facial induzida por toxicidade ARV com ácido poli-L-láctico (New Fill®) é viável, eficiente e seguro na prática clínica."

- Fonte



Uma Análise Transversal de Eventos Adversos e Litígios para Preenchimentos Injetáveis

"De um total de 1.748 eventos adversos incluídos, o inchaço foi a complicação mais comum, seguida de infecções. O uso de hidroxiapatita de cálcio e injeções no sulco nasolabial foram significativamente associados com injeção intra-arterial e necrose; consentimento informado inadequado foi o fator mais comum citado em litígio. (...)

Até onde sabemos, este estudo é a análise mais ampla das complicações relatadas das injeções de preenchimento. Embora o inchaço e a infecção tenham sido os eventos mais comumente relatados, das complicações graves relatadas ao FDA, Radiesse® foi significativamente mais provável de resultar em comprometimento vascular, e injeções no dorso nasal foram significativamente associadas à cegueira. Os injetores precisam ter um conhecimento profundo das complicações do preenchimento e seu manejo adequado. Uma análise de litígios envolvendo preenchimentos demonstrou que supostas deficiências de consentimento informado foram um fator comumente citado. Uma melhor comunicação com os pacientes pode melhorar sua compreensão do procedimento e potencialmente reduzir o litígio."

- Fonte


Use of calcium hydroxylapatite (Radiesse®) for facial augmentation

"Finalmente, Radiesse® pode ser considerado um preenchedor de tecidos moles eficaz em vista de suas vantagens gerais. Muitas pesquisas publicadas mostram que a hidroxiapatita de cálcio é segura e bem tolerada quando usada adequadamente. A maioria das propriedades desejáveis de um preenchedor dérmico pode ser alcançada com Radiesse®, incluindo longevidade aceitável, biocompatibilidade, baixa taxa de efeitos colaterais e uma relação custo-benefício razoável."

- Fonte